Entenda por que você odeia o som da sua própria voz

Cirurgião explica que desconforto em ouvir nossas vozes em gravações de áudio se deve a uma mistura de fisiologia e psicologia

Foto: Homem cobre os ouvidos/Getty Images

Neel Bhatt*, da CNN

Ouvir notícia

Como cirurgião especializado em tratar pacientes com problemas de voz, gravo rotineiramente meus pacientes falando. Para mim, essas gravações são incrivelmente valiosas. Eles me permitem rastrear pequenas mudanças em suas vozes de uma visita para outra e ajudam a confirmar se a cirurgia ou a terapia de voz levaram a melhorias.

No entanto, estou surpreso com o quão difícil essas sessões podem ser para meus pacientes. Muitos ficam visivelmente desconfortáveis ao ouvir sua voz ser reproduzida para eles.

“Eu realmente pareço assim?” eles se perguntam, estremecendo.

“Sim”, eu respondo.

Alguns ficam tão inquietos que se recusam abertamente a ouvir a gravação – muito menos repassam as mudanças sutis que quero destacar.

O desconforto que sentimos por ouvir nossas vozes em gravações de áudio provavelmente se deve a uma mistura de fisiologia e psicologia.

Por um lado, o som de uma gravação de áudio é transmitido ao seu cérebro de maneira diferente do som gerado quando você fala.

Ao ouvir uma gravação de sua voz, o som viaja pelo ar e chega aos seus ouvidos – o que é conhecido como “condução aérea”. A energia do som vibra o tímpano e os pequenos ossos do ouvido. Esses ossos então transmitem as vibrações sonoras para a cóclea, que estimula os axônios nervosos que enviam o sinal auditivo ao cérebro.

No entanto, quando você fala, o som da sua voz atinge o ouvido interno de uma maneira diferente. Embora parte do som seja transmitido por via aérea, grande parte do som é conduzido internamente, diretamente pelos ossos do crânio. Quando você ouve sua própria voz quando fala, é devido a uma mistura de condução externa e interna, e a condução óssea interna parece aumentar as frequências mais baixas.

Por esse motivo, as pessoas geralmente percebem sua voz como mais profunda e rica quando falam. A voz gravada, em comparação, pode soar mais fina e aguda, o que muitos acham digno de nota.

Há um segundo motivo pelo qual ouvir uma gravação de sua voz pode ser tão desconcertante. É realmente uma nova voz – aquela que expõe a diferença entre sua autopercepção e a realidade. Como sua voz é única e um componente importante da identidade própria, essa incompatibilidade pode ser chocante. De repente, você percebe que outras pessoas ouviram algo diferente o tempo todo.

Embora possamos realmente soar mais como nossa voz gravada para os outros, acho que a razão de tantos de nós nos contorcermos ao ouvir não é que a voz gravada seja necessariamente pior do que nossa voz percebida. Em vez disso, estamos simplesmente mais acostumados a nos ouvir soar de uma determinada maneira.

Um estudo de 2005 fez com que pacientes com problemas de voz avaliassem suas próprias vozes quando apresentados a gravações delas. Eles também fizeram com que os médicos avaliassem as vozes. Os pesquisadores descobriram que os pacientes, em geral, tendem a avaliar mais negativamente a qualidade de sua voz gravada em comparação com as avaliações objetivas dos médicos.

Portanto, se a voz em sua cabeça castiga a voz que sai de um dispositivo de gravação, provavelmente é o seu crítico interno exagerando – e você está se julgando um tanto severamente.

*Neel Bhatt é professor assistente de otorrinolaringologia na Universidade de Washington.

Este texto é uma tradução; para ler o original em inglês, clique aqui.

Mais Recentes da CNN