Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Está evidente que alguns idosos precisam da 3ª dose, diz diretora da SBIm

    Mônica Levi, da Sociedade Brasileira Imunizações, ressaltou que a medida será especialmente necessária no caso da Coronavac

    Da CNN

    São Paulo

    Em entrevista à CNN, a diretora da Sociedade Brasileira Imunizações (SBIm), Mônica Levi, afirmou que é “evidente” que os primeiros idosos vacinados contra a Covid-19 precisam de uma terceira dose. De acordo com ela, essa aplicação é necessária especialmente em relação à Coronavac, que é um imunizante inativado.

    “Do ponto de vista científico, vimos que os idosos que tomaram, principalmente, vacinas inativadas tiveram uma menor eficácia da vacinação”, disse a diretora da SBIm.

    “No caso os maiores 70 anos já têm mais tempo que se vacinaram, ou seja, eles possuem dois itens que vão contra a proteção: uma menor resposta imunológica, pela questão da perda da capacidade de responder tão efetivamente com o avançar da idade, e uma perda dos anticorpos que vai acontecendo ao longo dos meses depois da vacinação.”

    O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou na última terça-feira (24) que a partir do dia 15 de setembro será aplicada uma dose de reforço na faixa etária descrita por Levi e também para pessoas imunossuprimidas (transplantadas recentemente, com câncer, queimaduras graves, etc) que tomaram a segunda dose do imunizante há pelo menos seis meses.

    OMS

    Apesar da confirmação do chefe da pasta, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que as doses de reforço devem ser adiadas.

    Segundo ele, “há um debate sobre a efetividade ou não da dose extra da vacina”.

    Publicado por Evandro Furoni