RJ irá aguardar respostas de ministério antes de recomendar vacina de adolescentes

Orientação é para que as cidades que estejam com até 90% da população adulta imunizada com a 1ª dose prossigam para vacinar todos os que têm entre 12 e 17 anos

Leandro Resende

Ouvir notícia

O governo do Rio de Janeiro ainda aguarda posicionamento do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e respostas do governo federal para se posicionar sobre a continuidade da vacinação em adolescentes sem comorbidades. A informação está em nota oficial enviada pela Secretaria de Estado de Saúde após a CNN publicar que o estado iria manter a recomendação para que jovens de 12 a 17 anos sejam vacinados – nesta quinta-feira (16) o Ministério da Saúde recomendou que pessoas desta faixa etária não recebam mais o imunizante.

Na tarde desta quinta-feira foi realizada uma reunião entre os secretários municipais de saúde e o secretário estadual, Alexandre Chieppe, que compõem o Conselho Intergestores Bipartite. A CNN apurou que, no encontro,  foi feita uma sugestão para que o grupo ratificasse uma resolução do dia 20 de agosto. Nela, o governo do Rio e os gestores das cidades sugeriam que as cidades que têm mínimo de 90% da população adulta imunizada com a primeira dose prosseguissem para vacinar todos os que têm entre 12 e 17 anos.

 

Antes do encontro, o secretário estadual de saúde, Alexandre Chieppe, afirmou à CNN que “do ponto de vista risco versus benefício, o estado do Rio de Janeiro entende que a vacinação deve continuar sendo realizada em adolescentes”.

Rodrigo Oliveira, presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Rio e secretário de saúde de Niterói, afirmou à CNN que a decisão do Ministério pegou “todos os gestores de surpresa”. “Decisão não passou pelo Programa Nacional de Imunização, não houve conversa com os secretários estaduais de saúde do país. Foi feita uma decisão com problema de método e de forma, que gera muita confusão e desinformação”.

Mais Recentes da CNN