Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Estados de todas as regiões do país têm alta de casos de Covid-19, aponta Fiocruz

    De acordo com o boletim InfoGripe, Rio de Janeiro, São Paulo e Paraíba apresentam as maiores altas de casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG)

    Segundo a Fiocruz, 15 das 27 unidades federativas apresentam crescimento na tendência nos casos de longo prazo
    Segundo a Fiocruz, 15 das 27 unidades federativas apresentam crescimento na tendência nos casos de longo prazo Breno Esaki/Agência Saúde DF

    Lucas Janoneda CNN

    no Rio de Janeiro

    Um boletim da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), divulgado nesta quarta-feira (23), mostra que estados de todas as regiões brasileiras registraram aumento de casos de Covid-19 no início de novembro, frente ao mês anterior. Atualmente, a doença representa mais de 61% de todos os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Brasil.

    Segundo o boletim, 15 das 27 unidades federativas apresentam crescimento na tendência nos casos de longo prazo, nas últimas seis semanas: Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Roraima, Santa Catarina e São Paulo.

    Na maioria dos estados, o aumento está presente na população adulta e nas faixas etárias acima de 60 anos.

    De acordo com o InfoGripe, os estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Paraíba foram os destaques negativos, com as maiores altas de SRAG. Nestas regiões, os contágios por Covid-19 crescem desde o início de outubro.

    O pesquisador da Fiocruz e responsável pela pesquisa, Marcelo Gomes, voltou a defender a importância de medidas de proteção.

    “Para diminuir a transmissão do vírus, é extremamente importante que a população retome o uso de máscaras adequadas em situações de maior exposição, como transporte público, locais fechados ou mal ventilados, aglomerações e nas unidades de saúde. Além disso, estar com a vacinação em dia é fundamental para diminuir o risco de agravamento da doença”, reforça o coordenador do InfoGripe.

    Vacinas bivalentes aprovadas

    A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou por unanimidade nesta terça-feira (22) o uso emergencial de duas vacinas bivalentes da Pfizer contra a Covid-19.

    São dois imunizantes atualizados que contemplam sublinhagens da variante Ômicron do coronavírus e devem ser utilizados como doses de reforço contra a doença:

    • Bivalente BA1 – protege contra a variante original e também contra a variante Ômicron BA1.
    • Bivalente BA4/BA5 – protege contra a variante original e também contra a variante Ômicron BA4/BA5.

    A decisão foi tomada em votação da Diretoria Colegiada da Anvisa em reunião extraordinária realizada no período da noite. Para a avaliação, o órgão contou com a colaboração de sociedades médicas.

    Na noite de terça-feira, a Pfizer divulgou uma nota em que afirma que as vacinas atualizadas devem ser entregues ao Brasil nas próximas semanas.

    A CNN consultou o Ministério da Saúde sobre prazos para a chegada das vacinas bivalentes ao país e disponibilização nos postos de saúde. Em nota, o ministério afirmou que “vai solicitar ao laboratório o cronograma de envio dos lotes com os novos imunizantes, tendo em vista que o atual contrato da pasta com os fornecedores contempla a entrega de vacinas com cepas atualizadas”.

    (Com informações de Lucas Rocha)

    Cuidados básicos ajudam a prevenir a Covid-19