Estudo avalia usar aspirina no tratamento do câncer de mama; médico explica

No quadro Correspondente Médico, Fernando Gomes falou sobre pesquisa para tratar doença que atingiu 2,3 milhões de pessoas no mundo em 2020

Da CNN*, em São Paulo

Ouvir notícia

Na edição desta sexta-feira (20) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes falou sobre um novo estudo para o tratamento do câncer de mama.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), esse tipo de câncer se tornou o mais comum no ano passado. Cerca de 2,3 milhões de pessoas foram diagnosticadas com a doença em 2020 em todo o mundo.

Agora, aparece uma nova possibilidade de tratamento. Um estudo no Reino Unido vai avaliar os efeitos da aspirina em pessoas que enfrentam forma grave do câncer de mama. A ideia é usar o remédio combinado com imunoterapia e verificar os resultados.

Já existe um levantamento feito pela universidade no País de Gales sobre o assunto. Essa pesquisa mostrou que pacientes que tomaram aspirina por outras razões viveram mais tempo com diferentes tipos de câncer do que aqueles que não tomaram o remédio.

Fernando Gomes lembrou que cânceres são formados por células que tiveram alguma alteração no seu material genético e, por isso, se dividem de forma anormal. Para o câncer de mama, o tratamento tradicional envolve cirurgia com biópsia, que é a análise do tecido afetado, e radioterapia na região. 

“Do ponto de vista sistêmico, entendendo que pedaços e células tumorais podem migrar para outros órgãos, é feito a quimioterapia, hormonoterapia e terapia biológica — de alguma forma, se incita o sistema imunológico para combater as células alteradas”, explicou o médico sobre o tratamento feito com quimioterapia após a cirurgia de retirada do tumor.

“O que esse estudo traz de novo é uma força adicional possível para que a imunoterapia faça efeito. Lembrando que os tipos de cânceres mais agressivos carecem de receptores que naturalmente essas células têm e o o que vai acontecer é que a aspirina será um potencializador do imunoterápico para combater esse tipo de câncer”, disse Gomes.

quadro Correspondente Médico
No quadro Correspondente Médico, dr. Fernando Gomes falou sobre novo estudo com aspira contra o câncer
Foto: CNN Brasil (20.ago.2021)

(*Com informações de Raphael Florêncio, da CNN, em São Paulo)

Mais Recentes da CNN