Estudo mostra por que algumas pessoas são mais resistentes à Covid-19; entenda

O motivo seria contatos anteriores com outros tipos de coronavírus, diferentes daquele que é causador da atual pandemia

Da CNN

Ouvir notícia

 

Um estudo publicado na revista científica Science indica a razão de algumas pessoas serem mais resistentes à Covid-19 do que outras.

De acordo com pesquisadores dos Estados Unidos e da Austrália, o motivo seria contatos anteriores com outros tipos de coronavírus, diferentes daquele que é causador da atual pandemia.

Mesmo sem contato com a Covid-19, essas pessoas apresentaram os chamados linfócitos de memória contra as proteínas do Sars-CoV-2 e, por isso, seriam imunes.

“Elas já teriam exatamente os mesmos linfócitos que a gente espera ter em uma vacinação”, afirma Ana Maria Caetano, professora titular de Imunologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e membro do comitê científico da Sociedade Brasileira de Imunologia.

Leia e assista:
Muitas pessoas perderam o olfato com o novo coronavírus. Será que ele volta?
Entenda como pessoas que não tiveram Covid-19 podem ter imunidade ao vírus
Será que certos tipos sanguíneos nos tornam mais vulneráveis à Covid-19?

Em entrevista à CNN nesta sexta (7), Ana Maria disse que essa possibilidade de resistência à Covid-19 demonstrada no estudo já tinha sido abordada emr outros trabalhos, que também apontaram o que é conhecido como reatividade cruzada. A diferença, ela explica, é que “este estudo faz isso de uma forma mais sofisticada e detalhada, inclusive mapeando essas proteínas”.

“É importante deixar claro que nem todo mundo que teve a gripe comum ou uma infecção está imune”, alerta. “Não é para as pessoas se iludirem com isso. É uma possibilidade que pode ser que explique por que algumas pessoas são assintomáticas ou tão resistente ao Sars-CoV-2”, concluiu.

(Edição: Leandro Nomura)

 

Mais Recentes da CNN