Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eventos ligados a casos de febre maculosa reuniram mais de 6 mil pessoas em Campinas

    Quatro vítimas da doença estiveram na "Feijoada do Rosa", que acontece há dez anos na Fazenda Santa Margarida; quinta vítima esteve em um show do Seu Jorge, que ocorreu uma semana depois no mesmo espaço

    Foto da última edição da "Feijoada do Rosa", evento que está ligado à quatro casos de febre maculosa em Campinas e reuniu mais de 3,5 mil pessoas na Fazenda Santa Margarida.
    Foto da última edição da "Feijoada do Rosa", evento que está ligado à quatro casos de febre maculosa em Campinas e reuniu mais de 3,5 mil pessoas na Fazenda Santa Margarida. Reprodução/ Instagram

    Fernanda Pinottida CNN

    Em São Paulo

    Segundo a prefeitura de Campinas, a cidade do interior de São Paulo registra um surto de febre maculosa. Até o momento, foram registrados cinco casos, sendo três confirmados e dois suspeitos. Do total, quatro pessoas morreram e uma permanece internada.

    As quatro pessoas que morreram compareceram à “Feijoada do Rosa”, evento realizado no dia 27 de maio na Fazenda Santa Margarida, no Distrito de Joaquim Egídio, em Campinas. A festa reuniu cerca de 3.500 pessoas no espaço.

    A quinta vítima, que segue internada, esteve em outro evento no mesmo local no dia 3 de junho, uma festa chamada “Do Leme ao Pontal”, que contou com shows de Seu Jorge e outros artistas. O show contou com mais de 2.500 pessoas presentes.

    No perfil do Instagram da “Feijoada do Rosa”, a organização declarou, na noite de terça-feira (13), “seu profundo pesar, solidarizando-se com as famílias e amigos enlutados”. Segundo eles, a festa acontece há 22 anos e, nos últimos dez, teve como local a Fazenda Santa Margarida, “conhecido e consagrado espaço de grandes celebrações há décadas”.

    “Até o momento, não se pode descartar que as contaminações tenham eventualmente ocorrido durante essa frequência na Fazenda Santa Margarida, mesmo porque a Vigilância Sanitária local veio a público reforçar que a cidade de Campinas ganha especial expressão como foco da referida doença”, diz a nota publicada na conta da “Feijoada do Rosa”.

    O espaço Fazenda Santa Margarida também se pronunciou em nota para a imprensa nesta quarta-feira (14): “Diante dos últimos acontecimentos e, buscando maneiras de viabilizar e estruturar medidas de adequação necessárias, a empresa, por liberalidade, permanecerá fechada pelos próximos 30 dias. Uma vez que a região passa por momento delicado, essa decisão visa assegurar o bem-estar de nossos visitantes, colaboradores e da comunidade em geral”.

    A nota diz ainda que a prefeitura de Campinas, por meio do Departamento de Vigilância em Saúde, esteve nas dependências no dia 13 de junho para apresentar novas medidas e orientações.

    “A Fazenda está trabalhando num plano de ação e deverá apresentar aos órgãos competentes ainda essa semana”, diz a nota. “Ressaltamos que toda a documentação da Fazenda está em conformidade e regularidade com os órgãos competentes e às exigências legais, incluindo a Prefeitura Municipal de Campinas, e por este motivo os eventos agendados permanecem inalterados. É importante destacar novamente que, nos últimos anos, nunca houve qualquer caso semelhante a este”.

    “Diante de novas determinações da Prefeitura Municipal, através do Devisa, ainda hoje será apresentada uma listagem dos eventos agendados para os próximos seis meses, além das medidas de cautela determinadas pelo departamento. Essas medidas incluem a comprovação da comunicação a todos os participantes dos eventos ocorridos na Fazenda Santa Margarida, entre 26 de maio e 3 de junho, informando sobre medidas de saúde e bem-estar a serem adotadas em relação à febre maculosa e, orientações de procurar um serviço de saúde, caso o visitante tenha apresentado sintomas da doença”.

    Por fim, a Fazenda Santa Margarida “reforça o compromisso em manter e tomar todas as providências necessárias para garantir mais segurança e o conforto de seus visitantes e se mantém aberta ao diálogo com as autoridades e a comunidade durante esse período”.

    Enfrentamento da doença

    A prefeitura de Campinas anunciou um conjunto de medidas de enfrentamento à febre maculosa. A região de Campinas é endêmica para a enfermidade, com o maior registro de casos no Brasil.

    “Estamos fazendo um grande esforço, reunindo diversas áreas da prefeitura e representantes da Saúde pública e privada, para minimizar cada vez mais o risco da febre maculosa. A doença tem sintomas muito parecidos com outras enfermidades, como dengue, por exemplo. Por isso a importância de comunicarmos os riscos, os sintomas e orientar as pessoas a informarem os médicos de que estiveram em áreas verdes”, afirmou o prefeito Dário Saadi.

    No final da manhã, houve uma reunião entre prefeitura e serviços de saúde públicos e privados do município. De acordo com a gestão municipal, será publicado um decreto nos próximos dias com regras para estabelecimentos que realizam eventos para grandes públicos e que ficam em áreas de risco ou com presença do carrapato-estrela.

    A partir desta quarta-feira, passa a valer uma determinação do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) para que toda área de risco para a febre maculosa tenha informações sobre a doença, com cartazes, faixas, placas e outros dispositivos de comunicação do risco.

    Segundo a prefeitura, a Fazenda Santa Margarida só poderá fazer novos eventos quando apresentar um plano de contingência ambiental e de comunicação. Além disso, os responsáveis pelo local foram notificados sobre a importância da sinalização quanto ao risco da febre maculosa.

    Como prevenir a febre maculosa

    Doença endêmica no Sudeste

    A febre maculosa brasileira, causada pela bactéria Rickettsia rickettsii, é a doença transmitida por carrapatos de maior importância no país, sendo endêmica na região Sudeste, onde as taxas de letalidade passam de 50%, de acordo com o Ministério da Saúde.

    No contexto da epidemiologia, o termo “endemia” descreve a presença constante ou habitual de uma doença ou agente causador de infecção em determinada população dentro de uma área geográfica.

    Causada por bactérias do gênero Rickettsia, a febre maculosa é uma infecção que pode levar à inflamação de vasos sanguíneos, com quadros que podem ser de leves a graves. A variada apresentação clínica, com sinais e sintomas inespecíficos, parecidos com o de muitas outras doenças, pode levar a um atraso no diagnóstico, aumentando os riscos de morte.

    No Brasil, a febre maculosa foi reconhecida pela primeira vez em 1929 e observada inicialmente nos estados de São Paulo e de Minas Gerais, principalmente em regiões rurais, de acordo com o Ministério da Saúde. Posteriormente, houve relatos de casos nos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia. Em 2001, a infecção foi incluída na lista das doenças de notificação compulsória no país.

    / Arte/CNN

    *Com informações de Lucas Rocha, da CNN