Falta de doses paralisa parcialmente a vacinação em 13 capitais brasileiras

No levantamento anterior, na manhã desta sexta-feira (7), eram 10 as cidades que haviam paralisado parcialmente a vacinação

Gregory Prudenciano, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

São 13 as capitais brasileiras que já anunciaram paralisação parcial da vacinação contra a Covid-19 por falta de doses dos imunizantes, de acordo com levantamento feito pela CNN e atualizado até às 18h desta sexta-feira (7). No levantamento feito na manhã desta sexta-feira, a paralisação era realidade em 10 capitais. 

Reportaram ter interrompido parcialmente a vacinação as seguintes capitais: João Pessoa (PB), São Luís (MA), Natal (RN), Aracaju (SE), Belo Horizonte (MG), Porto Velho (RO), Recife (PE), Porto Alegre (RS), Campo Grande (MS), Salvador (BA), Manaus (AM), Teresina (PI) e Macapá (AP). As cidades de Boa Vista (RO), Fortaleza (CE) e Maceió (AL) não responderam. 

A vacina que mais está em falta é a Coronavac, produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, em São Paulo. Na quinta-feira (6), o diretor do Butantan, Dimas Covas, explicou que o instituto sofre com falta de insumo farmacêutico ativo (IFA) para a produção das vacinas, e que o Butatan só tem insumos suficientes para produzir doses até 14 de maio. 

Para Dimas Covas, o atraso na chegada do IFA, que vem da China, tem relação com a postura do governo do presidente Jair Bolsonaro, que tece frequentes críticas, diretas e indiretas, ao país asiático. 

“Existe dificuldade. Há uma burocracia mais lenta e há autorizações reduzidas de volumes [do IFA]. Essas declarações têm impacto, e ficamos a mercê. Não vamos ter, de fato, condições de entregar. Pode faltar? pode faltar. E temos que debitar isso, principalmente, do governo federal, que tem remado contra”, disse o diretor do Butantan. 

(*Com informações de Carolina Figueiredo, Victoria Cocolo, Giulia Alecrim e Ludmila Candal, da CNN, em São Paulo)

Frasco com Coronavac, vacina contra Covid-19
Frasco com Coronavac, vacina contra Covid-19
Foto: Vincent Bosson/Fotoarena/Estadão Conteúdo (19.mar.2020)

Mais Recentes da CNN