Grávidas serão priorizadas em campanha de vacinação contra Covid-19

No quadro Correspondente Médico, dr. Fernando Gomes explicou importância de imunizar gestantes e lactantes mesmo sem testes prévios

Raphael Florêncio, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Na edição desta terça-feira (27) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes analisou a nota técnica divulgada pelo Ministério da Saúde, por meio da Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações, recomendando a imunização de gestantes, puérperas (mães de recém-nascidos) e lactantes contra a Covid-19.

Segundo a pasta, mesmo que a segurança e a eficácia das vacinas contra a doença não tenham sido testadas neste grupo, as grávidas já recebem imunizantes de vírus inativado no calendário de vacinação. Por isso, vale a pena gestantes serem incluídas na prioridade da vacinação contra o coronavírus. No Rio de Janeiro, grávidas com comorbidades já estão sendo vacinadas. 

“Sabemos que existe um risco, mas durante o período de gravidez e amamentação existe uma fragilidade maior do corpo e temos dados epidemiológicos mostrando a gravidade dos casos e o acometimento das mulheres e bebês por Covid-19”, afirmou Gomes.

“Na população em geral, que já foi testada, a taxa de complicação por vacinação contra o coronavírus é pequena. E existem pessoas que foram vacinadas e estavam grávidas, sem nenhum relato grave complicação. Levando isso em consideração, se assume o risco frente ao benefício maior que é o de vacinar essa população”, explicou o médico.

Mulher grávida
Ministério da Saúde recomenda vacinação de gestantes e lactantes contra a Covid-19
Foto: Free Photos/ Pixabay

Mais Recentes da CNN