Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Há boas perspectivas para o Brasil ser país “livre de cigarro”, diz especialista

    À CNN Rádio, a médica fisiatra Erika Suzigan contou como foi encontro com especialista ao redor do mundo sobre o tema

    Especialistas alertam que a hora de parar de fumar é agora
    Especialistas alertam que a hora de parar de fumar é agora Krisanapong Detraphiphat/Getty Images

    Amanda Garciada CNN

    O Brasil tem “boas chances” para se tornar um país “livre de cigarro”, segundo a médica fisiatra Erika Suzigan.

    De acordo com a Organização Mundial da Saúde, um país só é considerado “smoke free” quando fica abaixo de 5% de fumantes.

    Especialistas suecos e de outros países da Europa se reuniram na quinta-feira, em São Paulo, para discutir iniciativas de redução de danos que podem prevenir doenças e mortes prematuras relacionadas ao uso do tabaco.

    À CNN Rádio, ela explicou que o Brasil “tem política antitabagista considerada bem-conceituada, com bons índices para diminuição de tabagismo.”

    Ao mesmo tempo, porém, Suzigan destaca que ainda há preocupação “porque tem tido aumento de outra forma de fumo, com os cigarros eletrônicos, que têm tido aumento especialmente entre jovens”.

    No encontro, a fisiatra afirmou que os cigarros eletrônicos foram alvo de debate para discutir quais são as preocupações e implicações do uso.

    Ela destacou que há literatura científica que aponta que eles são capazes de ajudar a parar de fumar, e que são, de certa forma, a depender do modelo, menos prejudiciais à saúde do que o cigarro convencional.

    Sobre a regulamentação do “vape” — que já foi discutida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas não avançou — ela pondera que “manter a proibição pode incentivar o uso.”

    “O ideal é regulamentar e ter fiscalização para não permitir dano maior”, completou.

    *Com produção de Isabel Campos