Hospitais devem enfrentar novo colapso com doenças de inverno, alerta médico

Lotados por Covid-19, sistemas de saúde devem ser mais pressionados com a chegada do período de doenças sazonais, analisa o epidemiologista Márcio Bittencourt

Produzido por Vinícius Tadeu*, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Com altas taxas de ocupação por Covid-19, hospitais públicos e particulares do Brasil devem enfrentar novo colapso a partir de maio, período em que doenças sazonais, como gripe e pneumonia, incidem mais na população. O alerta é do epidemiologista Márcio Bittencourt, que atua no Centro de Pesquisa Clínica e Epidemiológica do Hospital Universitário da USP.

Em entrevista à CNN nesta quinta-feira (1º), ele explicou que medidas mais restritivas adotadas por estados no início do ano ainda não refletem nos leitos hospitalares, que seguem lotados por todo o país. Em São Paulo, até a rede particular registra taxas de ocupação acima dos 90%.

“Se entrarmos no período sazonal ruim para outras doenças, mesmo que a Covid-19 não piore muito, mas se chegarmos lá com os hospitais tão cheios como agora, vamos ter outra sobrecarga muito complicada”, afirmou Bittencourt. 

“Todo ano, no Sudeste e Sul, ao redor de maio, começam as internações de inverno por piora de doenças pulmonares. Piora a asma, aumenta pneumonia e até mesmo a gripe”, destacou o especialista sobre as doenças invernais que muitas vezes resultam em internações.

Bittecourt destacou que não é o momento de flexibilizar as restrições de circulação. “Tudo o que faço hoje para controlar a transmissão do vírus, mesmo que acabasse com ela, vai levar cerca de um mês para ter reflexo nas internações e mais outro mês para refletir nos óbitos. O que começamos a fazer em março, que nem foi tão intenso, vai ter reflexo mais importante a partir de agora.”

Mais Recentes da CNN