Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Instituto Serum, da Índia, mira além da Covid com novas vacinas contra malária e dengue

    Estimativa é que aumentarão a produção total em 2,5 bilhões de doses, disse Adar Poonawalla

    Manter a caderneta de vacinação em dia é importante para evitar novos surtos
    Manter a caderneta de vacinação em dia é importante para evitar novos surtos MonikaBatich/GettyImages

    Por Manas Mishra, da Reuters

    PUNE, Índia (Reuters) – O presidente-executivo do maior fabricante de vacinas do mundo, o Instituto Serum da Índia, disse que o Serum tem reforçado sua capacidade de produção antes do lançamento, nos próximos anos, de vacinas contra doenças como a malária e a dengue, reaproveitando as instalações utilizadas para fabricar imunizações contra a Covid-19.

    Com a produção de vacinas contra a Covid reduzida à medida que a demanda diminui, a empresa está usando essas instalações para fabricar suas vacinas mais novas. A estimativa é que aumentarão a produção total em 2,5 bilhões de doses, disse Adar Poonawalla em entrevista.

    O Serum produz a vacina contra Covid-19 da AstraZeneca sob a marca Covishield na Índia, e também fabrica as vacinas contra Covid à base de proteína da Novavax.

    A empresa investiu 2 bilhões de dólares durante o pico da crise sanitária global para aumentar a produção.

    Atualmente, a companhia vende cerca de 1,5 bilhão de doses de vacinas todos os anos e estima uma capacidade total de produção de até 4 bilhões de doses.

    “E isto também é importante porque, se houver uma outra pandemia no futuro, poderemos vacinar toda a Índia em questão de três a quatro meses”, garantiu Poonawalla.

    A empresa está em negociações com outros países e governos para usar essas instalações no caso de futuros surtos, disse ele, mas não deu mais detalhes sobre as discussões.

    Poonawalla disse que o Serum tem capacidade para fabricar 100 milhões de doses de sua vacina contra a malária e pode aumentar ainda mais dependendo da demanda. Já produziu 25 milhões de doses antes do lançamento, previsto para os próximos meses.

    A antiga doença transmitida por mosquitos ainda mata mais de meio milhão de pessoas, principalmente crianças pequenas, na África Subsaariana, todos os anos.

    Poonawalla afirmou que o Serum vai se concentrar na exportação das suas vacinas, como a vacina contra a malária, para outros países, em vez de assinar acordos de transferência de tecnologia.

    O Serum também está testando uma vacina de dose única contra a dengue, outra doença transmitida por mosquitos, dolorosa e às vezes fatal, que desenvolveu com base em pesquisas feitas pelo Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos.

    Essa vacina está em fase inicial de testes na Índia. A empresa espera concluir os testes de fase final nos próximos três anos, disse o presidente-executivo.

    A japonesa Takeda Pharmaceutical também fabrica uma vacina contra a dengue, que está disponível em países como a Indonésia e a Tailândia, bem como na Argentina e no Brasil, que atualmente enfrenta um grande surto e não tem vacinas suficientes.

    Outras empresas, como a Indian Immunologicals, também estão desenvolvendo vacinas contra a doença.