Maior circulação da Covid-19 entre jovens coloca grávidas em risco, diz médico

Mulheres grávidas já vinham sendo internadas em estado grave em hospitais estaduais do Rio de Janeiro, mas a alta entre os jovens criou um novo alerta

Produzido por Ana Lícia Soares, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O Rio de Janeiro passa pelo primeiro fim de semana de flexibilização das restrições impostas para conter o avanço da pandemia de Covid-19. Na última semana, o estado teve uma redução no número de internações, no entanto, o número de mortes causados pela Covid-19 ainda está crescendo. O infectologista da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Roberto Medronho associou o aumento das infecções entre os jovens com o risco maior entre as mulheres grávidas.

“O período fértil da mulher é quando ela é uma mulher adulta jovem. Esta circulação do vírus mais intensamente na população adulta-jovem faz com que haja um aumento de casos nas grávidas.”

Segundo Roberto Medronho, mulheres grávidas já vinham sendo internadas em estado grave em hospitais estaduais do Rio de Janeiro, mas a alta transmissibilidade das novas variantes criou um novo alerta.

“Precisamos ter uma atenção redobrada às mulheres grávidas, precisamos protegê-la para que elas não fiquem infectadas porque realmente pode-se evoluir para um caso muito mais grave”, diz o médico.

Superferiado

O infectologista avalia que o recesso sanitário adotado pelos governadores entre o final de março e início de abril tem relação direta com a redução do número de diagnosticados pela Covid-19. “Não há dúvida nenhuma que o feriadão decretado pelos governadores impactou de forma importante no número de casos e, consequentemente, de casos graves. Estamos vendo agora a redução no número de internações.”

Roberto defende que as medidas de restrição de mobilidade impactam na curva em todo o mundo e foi isso o que aconteceu na capital fluminense.

“O Rio de Janeiro estava evoluindo para um evento muito grave, com a possibilidade de faltar oxigênio, leito, kit intubação esse não ocorresse aquela medida hoje nós estaríamos a um verdadeiro caos semelhante ao de Manaus em janeiro.”

No entanto, no primeiro dia de um pequeno alívio das regras, que entrou em vigor neste fim de semana,  banhistas foram flagrados desrespeitando a proibição de ir ao mar e ocupar as faixas de areia das praias. Além disso, as orlas ficaram cheias de pessoas sem máscaras.

A cidade do Rio de Janeiro já registra 22.923 mortes causadas pelo novo coronavírus, de acordo com a última atualização do Painel do Governo, o que representa 54% dos óbitos de todo o estado. Ao todo, 42.362 pessoas não resistiram ao vírus no território fluminense.

Mais Recentes da CNN