Medicamentos do ‘kit intubação’ estão em falta nos hospitais do Rio de Janeiro

Secretarias de Saúde do estado e do município, no entanto, garantem que o abastecimento é feito regularmente

Thayana Araujo, da CNN no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Cinco hospitais na cidade do Rio de Janeiro já apresentam problemas com a falta de medicamentos para o “kit intubação” usado em pacientes com sintomas graves de Covid-19. A lista de denúncias inclui os Hospitais Municipais Souza Aguiar, Miguel Couto, Albert Schweitzer e Rocha Faria e os Hospitais da Rede Federal do Andaraí e dos Servidores do Estado. Todas as unidades fazem parte do plano de contingência estadual contra a pandemia.

O bloqueador neuromuscular cisatracúrio, o analgésico fentanila, o sedativo propofol e o naloxona são alguns dos medicamentos denunciados e que estão em falta, segundo profissionais de saúde. A Secretaria Estadual de Saúde informou que a falta de algum item específico não representa, necessariamente, que a unidade não dispõe de alternativas viáveis da mesma classe terapêutica ou de diferente apresentação (volume) para substituição e disse que, diante do cenário atual, o mercado mundial não dispõe de capacidade para abastecer de maneira confortável as redes públicas e privadas.

A Superintendência de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos da SES é responsável por um levantamento semanal sobre o abastecimento de fármacos, incluindo os que integram o “kit intubação” nos hospitais. A SAFIE, ressaltou que o suprimento desses medicamentos é de responsabilidade dos gestores da unidade hospitalar e/ou do município gestor. Para isso a SES disse que aderiu a uma ata do Ministério da Saúde (MS) para aquisição dos medicamentos e todas as etapas dos processos são compartilhadas com o Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual e Defensoria Pública.

Em apoio à crescente demanda do momento, a SES informou à CNN que realiza repasse dos medicamentos enviados pelo Ministério da Saúde (MS) de forma equilibrada e com participação do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (COSEMS), para as unidades e municípios.

Questionada sobre a falta de medicamentos para o Kit Intubação, a Secretaria Municipal de Saúde explicou que o Ministério da Saúde tem feito entregas regulares dos medicamentos do chamado “kit intubação” e os estoques estão regularizados nos hospitais da rede municipal. Para os medicamentos que estão em falta no mercado nacional, há substitutos com a mesma função terapêutica.

Um documento da área técnica da SES-RJ, obtido pela CNN, do dia 26 de março, já alertava para a situação de colapso em unidades de saúde do Estado em virtude da falta de remédios que compõem o “kit-intubação”. O parecer informava a “demanda inesperada” pelos remédios em virtude da alta quantidade de pacientes internados com coronavírus na rede estadual. O documento trazia apelos de pelo menos cinco unidades de saúde com falta desses medicamentos, pedido de ajuda ao governo do estado e reforçava a necessidade do governo do Rio de Janeiro comprar urgentemente dos remédios.

Mais Recentes da CNN