Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Menina de 13 anos teve Covid-19 em março — e ainda não se recuperou totalmente

    Americana Maggie Flannery é um caso de "long-hauler", que apresenta sintomas do coronavírus por meses, apesar de ter se recuperado virologicamente

    Amy Wilson e a filha Maggie Flannery, de 13 anos, que sente sintomas por meses após ter contraído Covid-19 em março
    Amy Wilson e a filha Maggie Flannery, de 13 anos, que sente sintomas por meses após ter contraído Covid-19 em março Foto: CNN/ Reprodução

    Por Aditi Sangal,

    da CNN

    A americana Maggie Flannery, de 13 anos, contraiu a Covid-19 em março, mas ainda não se recuperou.

    “No início da quarentena, fiquei doente por um tempo. E depois melhorei por cerca de cinco dias, mas em seguida piorei de novo ”, disse ela à CNN.

    “Foi muito pior da segunda vez. Na segunda vez que senti muita dor no peito, parecia que era difícil respirar. Eu tinha muitas dores nas costas e estava extremamente cansada o tempo todo e muito tonta. Estava com muita náusea e não queria comer”.

    Flannery é um caso de “long-hauler” (“long haul” significa longa distância em tradução literal para o portugês). O termo tem sido usado para designar pacientes com Covid-19 que apresentam sintomas do vírus por semanas ou meses, apesar de terem se recuperado virologicamente.

    Leia também:
    47% dos brasileiros não vão tomar vacina de imediato, diz pesquisa

    80% dos brasileiros ficaram mais ansiosos na pandemia, mostra pesquisa

    Correspondente Médico: Aspirina tem efeito contra a Covid-19?

    Eles têm fadiga, mialgia, febre e anormalidades cognitivas, como a incapacidade de concentração, disse o principal especialista em doenças infecciosas dos Estados Unidos, Anthony Fauci, a um comitê do Senado americano em setembro.

    Mais de 657.000 crianças e adolescentes nos Estados Unidos testaram positivo para o novo coronavírus até 1º de outubro, de acordo com a Academia Americana de Pediatria e a Associação de Hospital Infantil. Mas o número deve sair maior, já que se baseou em dados do estado coletados de maneira inconsistente.

    Apesar dos sintomas, os médicos continuavam dizendo a Flannery que ela está saudável (sem o vírus), disse sua mãe, Amy Wilson.

    “Eu tinha que concordar com o fato de que esse é o novo coronavírus”, disse ela à CNN. “Foi frustrante, mas, ao mesmo tempo, eu sabia que não havia como esses especialistas entenderem quanto tempo dura a Covid-19 quando estamos todos descobrindo ao mesmo tempo.”

    Para outras pessoas que podem estar lutando contra o vírus, Flannery aconselhou:

    “Em certa altura, parece que você não vai melhorar. Eu meio que perdi a esperança de melhorar. Mas eu melhorei e estou quase acabando com isso. Portanto, continue lutando”.