Menos de 10% dos países africanos atingirão meta de vacinação contra Covid

Apenas 10% dos países do continente devem vacinar totalmente 40% de sua população; falta de seringas e vacinas são os principais entraves

Enfermeira é vacinada contra a Covid-19 em campanha em Joanesburgo, na África do Sul
Enfermeira é vacinada contra a Covid-19 em campanha em Joanesburgo, na África do Sul Lefty Shivambu/Gallo Images via Getty Images

Camila Neumamda CNN

São Paulo

Ouvir notícia

Levantamento da Organização Mundial da Saúde divulgado nesta quinta-feira (28) aponta que menos de 10% dos países africanos atingirão a meta de vacinação contra Covid-19. Isto é, apenas cinco dos 54 países do continente, devem conseguir atingir a meta de vacinar totalmente ao menos 40% de suas populações neste ano.

Apenas Seychelles, Maurício e Marrocos já cumpriram a meta definida em maio pela Assembleia Mundial da Saúde, o órgão mais alto de definição de políticas de saúde do mundo. No ritmo atual, somente Tunísia e Cabo Verde também devem atingir a meta, segundo a OMS.

As dificuldades de avançarem com a imunização contra o coronavírus ocorrem pela escassez de produtos essenciais para a vacinação, como seringas.

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) relatou um déficit iminente de até 2,2 bilhões de seringas para a vacinação contra Covid-19 e imunização de rotina em 2022 no continente.

“A ameaça iminente de uma crise de commodities de vacinas paira sobre o continente. No início do próximo ano, as vacinas contra Covid-19 começarão a chegar à África, mas a escassez de seringas pode paralisar o progresso. Devem ser tomadas medidas drásticas para aumentar a produção de seringas, rapidamente. Inúmeras vidas africanas dependem diss ”, disse Matshidiso Moeti, diretor regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a África.

Segundo a OMS, a instalação do mecanismo Covax, plataforma global para garantir o acesso equitativo às vacinas, está trabalhando para enfrentar essa ameaça, fechando negócios com os fabricantes de seringas e por meio de um melhor planejamento para evitar que as entregas ultrapassem o fornecimento de seringas.

Para tentar acelerar a vacinação nos países do continente, a OMS está conduzindo missões de apoio de emergência a cinco países africanos, com planos de missões para outros 10 países este ano.

Os especialistas da OMS estão trabalhando com as autoridades locais e parceiros no terreno para analisar as razões de quaisquer atrasos e a melhor forma de resolvê-los.

“A OMS está apoiando os países africanos no desenvolvimento, melhoria e implementação de seus Planos Nacionais de Implantação de Vacinas e no refinamento contínuo de seus lançamentos de vacinas Covid-19 à medida que avançam”, disse Moeti.

Vacinação contra Covid na África

Até o momento, cerca de 50 milhões de doses da vacina contra Covid-19 chegaram à África, pela plataforma Covax, o que é quase o dobro do que foi enviado em setembro.

No entanto, no ritmo atual, a África ainda enfrenta um déficit de 275 milhões de vacinas contra Covid-19 em comparação com a meta de finalizar o ano de vacinar totalmente 40% de sua população.

A África vacinou totalmente 77 milhões de pessoas, apenas 6% de sua população. Enquanto mais de 70% dos países de alta renda já vacinaram mais de 40% de seus residentes, disse a OMS.

Quase 8,5 milhões de casos de Covid-19 e mais de 217.000 mortes foram registrados no continente desde o início da pandemia. Na semana que terminou em 24 de outubro, foram registrados mais de 29. 300 novos casos, uma queda de quase 30% em relação à semana anterior.

Mas quatro países estão com tendência de alta ou platô: Gabão, Congo, Camarões e Egito. A variante Delta foi encontrada em 41 países, a variante Alfa em 47 e Beta em 43.

Mais Recentes da CNN