Ministério entregará quase 30 milhões de testes de Covid em janeiro, diz Queiroga

Só nas próximas duas semanas, 13 milhões devem ser distribuídos, disse o ministro da Saúde

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga Marcelo Camargo/Agência Brasil

Raphael Coraccinida CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

O ministro Marcelo Queiroga anunciou neste sábado (8), em sua conta no Twitter, a distribuição de quase 30 milhões de testes rápidos de Covid-19 ainda no mês de janeiro, com parte desse carregamento sendo entregue nas próximas duas semanas.

“O Ministério da Saúde vai distribuir mais 28,2 milhões de testes rápidos de antígeno para detecção da Covid-19 ainda em janeiro. Nas próximas duas semanas serão 13 milhões”, garantiu o ministro.

A entrega de testes é uma demanda do consórcio Conecta, que envolve prefeitos de todo o Brasil organizados para debater temas relacionados à vacina e à contenção da pandemia.

O presidente do consórcio e prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, teve reunião com o secretário-executivo do Ministério da Saúde Rodrigo Otávio na última quinta-feira para discutir a questão da testagem nos municípios diante do aumento de caso de Covid-19 e Influenza em todo o Brasil.

Em entrevista à CNN, Loureiro disse “dias difíceis” virão com a pressão sobre os sistemas de saúde, e destacou a importância da testagem para que os municípios possam direcionar suas ações em tempos de retorno das aulas e proximidade do Carnaval.

Na sexta-feira (7), ao comentar sobre a distribuição de testes e possibilidade de redução do tempo de quarentena, o ministro Marcelo Queiroga cobrou que os estados e municípios empreguem parte dos orçamentos no combate ao crescimento dos casos de Covid-19 no país, assim como para o aumento da disseminação do Influenza.

Queiroga afirmou que, com a distribuição de testes, a expectativa é que o governo tenha informações mais completas sobre os perigos relacionados à variante Ômicron. “Vamos esperar mais três ou quatro semanas para se ter uma ideia mais definitiva com relação ao potencial de letalidade”, disse o ministro.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) aguarda pedido do Ministério da Saúde para enviar 15 milhões de testes como parte do contrato firmado em agosto de 2021, que acertou a entrega ao Ministério, até o fim do ano passado, de 60 milhões de materiais para testagem da Covid-19. No entanto, até o momento, somente 45 milhões foram enviados.

Com a insuficiência de testes e o apagão de dados relacionados à vacinação depois do ataque de hackers ao Ministério da Saúde, o quadro da Covid hoje é “mais especulativo que baseado em dados”, disse pesquisador e especialista em saúde pública da Fiocruz Raphael Guimarães.

“A gente tem a introdução de uma variante que seguramente já tem transmissão comunitária, tem infecção concomitante com a Influenza e a gente sabe muito pouco sobre o real número de casos de internação e morte”, disse o especialista.

Em postagem no Twitter neste sábado, Queiroga disse que, desde setembro, foram distribuídos 31,6 milhões de testes rápidos para os estados e municípios, e que “todos os pedidos estão atendidos”.

Mais Recentes da CNN