Moderna estuda dose menor de vacina para conseguir ‘produzir mais’

Em acordo com a suíça Lonza, a farmacêutica estuda versões de doses mais baixas, mas que garantam a proteção contra o coronavírus e suas variantes

Moderna garante boa proteção de seu imunizante com a aplicação de duas doses
Moderna garante boa proteção de seu imunizante com a aplicação de duas doses Foto: Dado Ruvic/Reuters

John Miller, da Reuters

Ouvir notícia

A Moderna está se preparando para reduzir pela metade a dose de sua vacina contra a Covid-19, disse a farmacêutica americana na quarta-feira (2), para que também possa ser usada para combater variantes e imunizar crianças.

Ela fechou um acordo com a farmacêutica suíça Lonza (LONN.S), que disse que uma nova linha de produção de drogas em Geleen, Holanda, terá capacidade para fazer ingredientes para até 300 milhões de doses anuais a 50 microgramas por dose.

“Presumimos que, a partir de 2022, teremos uma combinação de níveis de dosagem no mercado”, disse uma porta-voz da Moderna, após o anúncio da nova produção da Lonza.

A Moderna, que estuda versões de doses mais baixas para ajudar a esticar o estoque de sua vacina, tem fornecido uma dose aprovada de 100 microgramas até o momento.

A farmacêutica disse que os primeiros dados da dose de reforço para uma versão de 50 microgramas mostraram que ela ajudou a proteger contra as variantes emergentes do vírus. Doses mais baixas também podem ser administradas a crianças que não precisam de uma dose completa. 

Combinado com um acordo anterior com a espanhola Rovi (ROVI.MC), o pacto da Moderna com a Lonza eleva a produção de 50 microgramas na Europa para até 600 milhões de doses anuais, com capacidade prevista para entrar em operação este ano.

A injeção de mRNA da Pfizer (PFE.N) e da BioNTech (22UAy.DE) foi aprovada para crianças de 12 a 15 anos na Europa e nos Estados Unidos, e a Moderna deseja aprovação para adolescentes, pois os dados mostraram que sua injeção foi considerada segura e eficaz.

A Moderna pretende entregar até 3 bilhões de doses em 2022, passando de 800 milhões para 1 bilhão de doses este ano, mas não especificou a mistura de dosagem.

Além da produção holandesa planejada, a Lonza tem três linhas de produção em Visp, na Suíça, onde está aumentando a capacidade anual para 300 milhões de doses a 100 microgramas por dose. 

Em abril, anunciou planos de dobrar a produção do Visp no próximo ano. A farmacêutica suíça também produz ingredientes para a Moderna nos Estados Unidos.

 

Mais Recentes da CNN