Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Moderna: não há dados sobre quanta proteção uma única dose de vacina oferece

    Presidente da farmacêutica diz que estudos disponíveis indicam proteção com duas aplicações do imunizante

    Moderna garante boa proteção de seu imunizante com a aplicação de duas doses
    Moderna garante boa proteção de seu imunizante com a aplicação de duas doses Foto: Dado Ruvic/Reuters

    Naomi Thomas, da CNN

    Ouvir notícia

    O presidente da Moderna, Stephen Hoge, disse nesta segunda-feira (1º) que a empresa está focada nos dados de dosagem da vacina que possui – e esses dados indicam que duas doses é o que funciona.

    Ele fez os comentários um dia depois de Michael Osterholm, diretor do Centro de Pesquisa e Política de Doenças Infecciosas da Universidade de Minnesota, ter dito ao Meet The Press da NBC que o maior número possível de pessoas com mais de 65 anos deveria receber a primeira dose de Vacina para Covid-19. Osterholm disse isso para responder a um possível aumento nas próximas seis a 14 semanas, causado pela variante do coronavírus identificada pela primeira vez no Reino Unido. Essa estratégia pode atrasar a segunda injeção da vacina.

    Quando questionado sobre sua opinião sobre esta estratégia, Hoge disse ao Good Morning America: “Neste ponto, como cientista e médico, eu realmente me concentro no que os dados dizem, e os dados que temos de nossos testes clínicos mostram que duas doses são excelentes, muito boas na proteção contra Covid-19 e, em última análise, é a única regime que realmente estudamos. ”

    Hoge disse que é possível que uma dose forneça algum benefício, “mas realmente não temos dados para provar isso neste momento”.

    “Como Moderna, tentamos nos ater aos dados e à ciência, o que temos”, continuou ele, acrescentando que as autoridades de saúde pública têm escolhas complicadas a fazer sobre como proteger o maior número de pessoas possível quando há um estoque limitado de vacinas.

    “Nossa responsabilidade como empresa é seguir os dados e disponibilizar o máximo de doses possível”, disse Hoge.

    Mais Recentes da CNN