Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Mortalidade por Covid-19 é 10 vezes maior em países com alto nível de obesidade

    Pesquisa revela que 88% dos óbitos pela doença ocorreram em locais onde mais da metade da população tem excesso de peso

    Obesidade
    Obesidade Foto: Pixabay

    Lauren Mascarenhas,

    da CNN

    Ouvir notícia

    O risco de morte por Covid-19 é cerca de 10 vezes maior em países onde a maioria da população está acima do peso, afirma um relatório divulgado nessa quarta-feira (3) pela Federação Mundial de Obesidade.

    Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores examinaram dados de mortalidade da Universidade Johns Hopkins (JHU) e da Organização Mundial da Saúde (OMS). Eles descobriram que das 2,5 milhões de mortes por Covid-19 relatadas até o final de fevereiro, 2,2 milhões (88%) ocorreram em países onde mais da metade da população é obesa. Essa relação permaneceu mesmo após o ajuste por idade e riqueza nacional.

    Em países com menos de 40% da população com excesso de peso, a taxa de mortalidade pela doença era baixa e não passava de 10 mortes por 100 mil pessoas.

    Porém, quando mais de 50% da população estava acima do peso, essa mesma taxa era muito mais alta: mais de 100 a cada 100 mil.

    Os pesquisadores dizem que o excesso de peso também pode piorar outros problemas de saúde e infecções virais, como o H1N1, gripe e síndrome respiratória do Oriente Médio (Mers).

    A Federação Mundial de Obesidade sugere que os governos priorizem as pessoas que vivem com obesidade para o teste e vacinação contra a Covid-19.

    “Uma população com excesso de peso é uma população doentia e uma pandemia esperando para acontecer”, escreve o grupo.

    Nos Estados Unidos, 75% dos americanos estão acima do peso ou são obesos, de acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos.

    No Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, quase 20% da população é considerada obesa. 

    (Texto traduzido. Leia o original em inglês).

    Mais Recentes da CNN