Mortes de grávidas com Covid-19 mais do que dobram em 2021, revela levantamento

No quadro Correspondente Médico, Fernando Gomes explicou como o sistema imunológico de gestantes se comporta diante de infecção viral

Raphael Florêncio,

da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Na edição desta segunda-feira (19) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes explicou um levantamento do Observatório Obstétrico Brasileiro, que apontou crescimento nas mortes de gestantes e mães de recém-nascidos por Covid-19.

Segundo os dados, as mortes desse grupo por causa da doença mais do que dobraram em 2021. A pesquisa mostra que, no ano passado, mais de 450 grávidas com Covid-19 morreram — uma média de cerca de 10 óbitos por semana. Neste ano, já foram 362 mortes, uma média semanal de 25 registros.

“Durante o período da gravidez, existe uma fragilidade maior do corpo humano. Ao mesmo tempo que se tem todo um preparo para uma vida que está por vir, existe uma questão do sistema imunológico”, explicou Gomes.

“Quando um bebê está sendo desenvolvido, temos um ser novo que tem metade da carga genética da mãe, e metade do pai. Dessa forma, o sistema imunológico da grávida tem que agir diferente para não haver uma reação de corpo estranho ao próprio filho”, detalhou o médico. “Durante a gravidez, se há uma infecção viral, que também estimula o sistema imunológico, há um ‘conflito de interesses’ acontecendo no corpo da gestante.”

Mulher grávida
Levantamento revela aumento de mortes entre grávidas e mães de recém-nascidos por Covid-19
Foto: Divulgação/Pixabay

 

Mais Recentes da CNN