Mundo ultrapassa 50 milhões de casos de Covid-19; países retomam Lockdown

A escalada no número de casos em âmbito mundial ocorre em meio a uma nova onda de fechamentos em massa

Pedro Teodoro e Gabriel Passeri*, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia
País de Gales entra no terceiro dia de novo lockdown
País de Gales entrou em novo lockdown em 23 de outubro
Foto: CNN Brasil

O mundo ultrapassou, neste fim de semana, os 50 milhões de casos do novo coronavírus, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins. Ao todo são mais de 50,7 milhões de infectados pela Covid-19 e 1,2 milhão de mortos.

Nesta segunda-feira (09), os Estados Unidos registraram a marca de 10 milhões de contaminações pelo vírus e 237 mil mortes. O país segue como o mais afetado pela doença, seguido de Índia (8,5 milhões e 126 mil, respectivamente) e Brasil (5,6 milhões e 162 mil).

A escalada no número de casos em âmbito mundial ocorre em meio a uma nova onda de fechamentos em massa. Na Europa, por exemplo, vários países estão retomando restrições com o intuito de conter o avanço da pandemia.  

Leia também

Estudo diz que trabalhadores da saúde têm 146% mais chance de morrer de Covid-19

BioNTech espera que efeito da vacina contra Covid-19 dure ao menos um ano

Reino Unido, França e Itália são algumas das nações que decidiram adotar o lockdown pela segunda vez. De acordo com levantamento da CNN, ao menos 20 países adotaram algum meio de restrição contra o avanço da Covid-19.

Confira abaixo lista dos países em fechamento:

Reino Unido:  em 31 de outubro, o Reino Unido decretou lockdown por um mês após alta em novos casos de coronavírus

Estabelecimentos comerciais não essenciais ficaram fechados, caso de serviços de lazer, entretenimento, além de bares e restaurantes — com exceção de entrega.

País de Gales: um lockdown de duas semanas começou em 23 de outubro – e termina nesta segunda-feira (9). Apenas trabalhadores essenciais puderam circular.

República Tcheca: um decreto do governo limita a “livre movimentação” dos cidadãos. 

França: iniciou um novo lockdown em 30 de outubro. As medidas preveem o isolamento total, exceto para comprar itens essenciais, procurar ajuda médica e fazer uma hora diária de exercício físico.  

Um certificado para transitar no país é solicitado à população. Diferentemente das restrições de março deste ano, a maioria das escolas permanecem abertas. As restrições permanecerão em vigor até 1º de dezembro.

Espanha: em 25 de outubro, o governo espanhol entrou em um novo estado de emergência. Entre as medida,s estão restrições de viagens entre determinadas regiões e toques de recolher noturnos locais.

Irlanda: o país adotou lockdown em 21 de outubro. A medida prevalecerá por seis semanas, com final previsto para o início de dezembro deste ano.  

Irlanda do Norte: no dia 14 de outubro, o governo decretou o fechamento por duas semanas de escolas e de restaurantes por quatro semanas.

Holanda: restaurantes, cafés e bares em seis regiões holandesas estão enfrentando restrições desde 21 de setembro.

Bélgica: em 19 de outubro, o governo ordenou que bares e restaurantes fossem fechados por quatro semanas. Além disso, um toque de recolher começou a funcionar no mesmo dia.

Alemanha: em 29 de outubro, a primeira ministra Angela Merkel anunciou um novo lockdown para conter o avanço do vírus. Os alemães, a partir de 2 de novembro, estão sendo aconselhados a ficar em casa e evitar deslocamentos. Contatos sociais estão limitados a apenas habitantes de duas residências diferentes e os encontros devem ser ao ar livre. Escolas e creches permanecem abertas, mas medidas de higiene rigorosas.

Finlândia: no dia 1º de outubro, o governo finlandês introduziu um toque de recolher com início à 1h da madrugada.

Itália: em 4 de novembro, o primeiro-ministro italiano anunciou um lockdown parcial nas regiões mais populosas da Lombardia, como a capital financeira de Milão. O decreto publicado, que entrou em vigor em 6 de novembro, divide o país em três bandeiras (amarelo, laranja e vermelho), de acordo com a situação epidemiológica de cada região. Nas áreas vermelhas, pessoas só poderão deixar suas casas para trabalhar, para procurar atendimento médico ou outras emergências.

A Toscana, que inclui as cidades de Florença e Siena, Liguria, Abruzzo, Umbria e as regiões do sul da Basilicata se tornarão “zonas laranja”, onde bares e restaurantes estão fechados. A população pode transitar dentro de suas cidades, mas viagens intermunicipais estão vetadas.

Austrália: após 11 novos casos de coronavírus serem contabilizados em 14 de outubro, a Austrália retardou a flexibilização da pandemia do novo coronavírus. Restaurantes, comércio, cerimoniais entre outros setores foram novamente fechados.  

Portugal: os portugueses retomaram ordem de “fique em casa” na maior parte do país: o governo de português anunciou, em 31 de outubro, que grande parte do país retornaria ao lockdown para conter a proliferação da Covid-19. Assim, os cidadãos poderão sair somente para serviços essenciais, como trabalho, escola ou compras. A regra começou a valer a partir de 04 de novembro.

Os restaurantes podem continuar a funcionar, mas com capacidade limitada e horário limitado até às 22h30. Todos os estabelecimentos comerciais também devem seguir o horário limite de abertura, que é às 22h30.

Dinamarca: em 22 de outubro, a primeira ministra Mette Frederiksen anunciou a redução do limite de reuniões públicas de 50 para 10 pessoas e a proibição da venda de álcool após às 22h. O país nórdico também tornou o uso de máscaras obrigatório em todos os espaços públicos fechados, como supermercados.

Partes da Dinamarca enfrentam medidas novas e mais rígidas de lockdown após autoridades de saúde descobriram uma nova linhagem do novo coronavírus  em visons – espécie de mamífero que se assemelham às doninhas. 

Islândia: o país endureceu suas restrições para conter um aumento nas infecções por coronavírus, reduzindo seu limite de reuniões públicas de 20 para 10 pessoas e suspendendo atividades esportivas e apresentações de palco. A medida entrou em vigor em e permanecerá até dia 07 de novembro, medida válida até 17 de novembro.  

Grécia: a segunda maior cidade do país, Thessaloniki, junto com a cidade de Larissa e a região de Rhodope, entrou em lockdown desde 30 de outubro. O país começou um fechamento nacional com duração de três semanas desde 7 de novembro.

Noruega: os noruegueses foram instados a “ficar em casa o máximo possível” desde 7 de novembro. Restrições incluem fechamento de bares e restaurantes à meia-noite.

Áustria: o país entrou em seu segundo lockdown nacional, que inclui toque de recolher das 20h às 6h e fechamento de instalações de lazer.

Suécia: anunciou que vai aumentar as restrições em três regiões adicionais, incluindo a limitação de reuniões em bares e restaurantes a oito pessoas.

(*Com supervisão de Evelyne Lorenzetti)

Mais Recentes da CNN