Novo decreto define lockdown de 15 dias no Distrito Federal

Medida foi tomada após a ocupação dos leitos de UTIs específicos para pacientes com a covid-19 atingir 98%

Segundo Ibaneis, já foram feitas tratativas com o Ministério da Saúde para que haja uma ampliação na oferta de UTIs no DF
Segundo Ibaneis, já foram feitas tratativas com o Ministério da Saúde para que haja uma ampliação na oferta de UTIs no DF Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Da CNN

Ouvir notícia

O governo do Distrito Federal editou novo decreto que prevê lockdown com duração de 15 dias. A medida passa a valer a partir de domingo (28).

O decreto editado na última sexta-feira (26) não estabeleceu prazo para o fim da suspensão de todas as atividades e o funcionamento de estabelecimentos comerciais e industriais considerados não essenciais.

“Esse lockdown não é como foi no passado. Temos agora um horizonte. Vamos colocar prazo para o decreto de 15 dias de suspensão das principais atividades e vamos fazendo a liberação”, afirmou o governador Ibaneis Rocha (MDB) em declaração à imprensa, após a reunião com sua equipe.

A medida foi tomada após a ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) específicos para pacientes com a covid-19 atingir 98% no fim da tarde desta sexta-feira.

Segundo Ibaneis, já foram feitas tratativas com o Ministério da Saúde para que haja uma ampliação na oferta de UTIs no DF. “Até sexta-feira (5), temos condições de abrir mais 100 unidades de UTIs, o que vai nos dar um determinado conforto. Vamos baixar para 85% de ocupação”, afirmou o governador.

Ibaneis informou ainda que, já a partir deste domingo (28), o Banco de Brasília (BRB) vai divulgar uma nova plataforma econômica, com investimentos de R$ 2,5 bilhões para socorrer o empresariado local. “Vamos dar resultado e rápido para que a sociedade sofra o mínimo possível”, disse o governador.

Segundo ele, agora, o DF tem toda a expertise no que diz respeito ao tratamento da covid-19. “Temos um número muito elevado de casos, mas a mortalidade é baixa”, disse o governador. Segundo dados do Ministério da Saúde, o Distrito Federal acumulava até ontem 4.819 mortes em decorrência do novo coronavírus e 294.911 casos da doença.

Conforme o Broadcast noticiou mais cedo, pelo menos duas manifestações contra o lockdown já estão previstas para Brasília. Uma carreata deve ser feita amanhã no Lago Sul, área nobre da cidade, saindo de um centro comercial até a residência do governador. Outra mobilização está marcada para segunda-feira em frente ao Palácio do Buriti, sede do governo do Distrito Federal.

O que pode funcionar

De acordo com o decreto publicado neste sábado (27), podem funcionar no Distrito Federal: supermercados, hortifrutis, padarias, açougues, postos de combustiveis, farmácias, hospitais, clínicas odontológicas, veterinários, agências bancárias, lotéricas e bancas de jornais.

Conforme Lei Distrital nº 6.630, de 10 de julho de 2020; cultos, missas e rituais de qualquer credo ou religião também são permitidos. 

Em seu perfil no Twitter, o governador Ibaneis Rocha afirmou que a lei está sendo questionado pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e que ele é obrigado a cumpri-la. Segundo o emedebista, as igrejas, no entanto, têm seguido todas as normas de segurança.

(Com Estadão Conteúdo)

Mais Recentes da CNN