O que são testes de anticorpos e qual a utilidade em meio à pandemia

Também conhecidos como testes sorológicos, eles servem para checar as proteínas no sistema imunológico

Os testes de anticorpos servem para checar as proteínas no sistema imunológico, conhecidas como anticorpos, através de uma amostra de sangue
Os testes de anticorpos servem para checar as proteínas no sistema imunológico, conhecidas como anticorpos, através de uma amostra de sangue Foto: Reprodução/ Reuters

Mallory Simon e Gina Yu, da CNN

Ouvir notícia

Enquanto o mundo acompanha a pandemia do novo coronavírus e se pergunta quando as restrições e as medidas de isolamento social acabarão, alguns testes de anticorpos podem ajudar a encontrar uma solução para essa situação.

Os testes de anticorpos – também conhecidos como testes sorológicos – não são feitos para diagnosticar infecções ativas da COVID-19, mas sim checar as proteínas no sistema imunológico, conhecidas como anticorpos, através de uma amostra de sangue. 

A presença delas significa que a pessoa foi exposta ao vírus e desenvolveu anticorpos para a doença, o que pode levar ao entendimento de que o indivíduo tem ao menos alguma imunidade. Ainda assim, os especialistas não estão certos de quão forte a imunidade pode ser ou mesmo por quanto tempo ela pode durar.

Os testes de anticorpos para o coronavírus já estão disponíveis?

“Dentro de uma semana mais ou menos, teremos uma grande quantidade de testes [de anticorpos] disponíveis”, disse Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA, à CNN na sexta-feira (10). Mas isso não significa que eles já estarão prontos para uso imediato.

Leia também:

Laboratórios correm contra o tempo para encontrar soluções para o coronavírus

Sem isolamento, coronavírus pode infectar até 1 bilhão em 3 meses, diz estudo

A Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA, em inglês) ainda não aprovou testes de anticorpos para o novo coronavírus. Somente um – feito pela Cellex Inc. – obteve autorização emergencial de uso. Diversas outras companhias também desenvolveram suas próprias versões sob uma nova política da agência implementada em março, que facilita a produção e distribuição desses testes pelas empresas.

Mesmo assim, a FDA alerta que esses testes sorológicos “não devem ser usados como base única para diagnosticar ou excluir a infecção [coronavírus]”, e pede que os fabricantes reportem possíveis preocupações.

Os testes de anticorpos são precisos?

Sem a aprovação da FDA, esses testes não passam pelo processo rigoroso normalmente necessário para provar sua precisão, e isso levanta dúvidas.

Scott Becker, CEO da Associação de Laboratórios de Saúde Pública, qualificou muitos dos testes como “porcaria”. O grupo representa 125 laboratórios públicos estaduais e municipais dos EUA. Junto aos laboratórios privados, eles são responsáveis por avaliar os testes.

Becker afirmou que os laboratórios sob sua administração não usarão os testes que estão no mercado porque há uma preocupação com relação a resultados imprecisos, que podem fazer as pessoas acreditarem erroneamente que estão imunes ao novo coronavírus, prontas para retornar ao trabalho e evitar o distanciamento social.

Você não saberia se tivesse sido exposto ao coronavírus?

Além de indicar um certo nível de imunidade, a presença de anticorpos para a COVID-19 pode ajudar a identificar aqueles que foram infectados, mas nunca perceberam estar com a doença. Estudos preliminares apontam que muitas pessoas podem ter apresentado sintomas leves ou mesmo nenhum sintoma e estar espalhando o vírus mais do que se pensava.

O Instituto Nacional de Saúde dos EUA anunciou na sexta-feira (10) que está recrutando 10 mil voluntários para participarem de um estudo sobre quantos norte-americanos foram infectados com o novo coronavírus e não sabem.

“Esses dados nos ajudarão a medir o impacto dos nossos esforços na saúde pública neste momento e guiar nossa resposta à COVID-19 daqui para frente”, explicou Fauci em um comunicado.

Saber exatamente quem tem anticorpos também pode ajudar no tratamento contra a doença. Testes clínicos usando plasma convalescente – um processo que extrai anticorpos de uma pessoa que se recuperou da doença e injeta em um paciente doente – estão em andamento.

Quanto tempo dura a imunidade contra o coronavírus?

Aqueles com anticorpos para a doença podem ter imunidade contra ela, mas ainda não está claro quão forte a resposta imunológica pode ser ou por quanto tempo ela dura.

“A imunidade proporcionada pela COVID-19 pode ser vista como uma espécie de proteção até que tenhamos uma vacina eficaz disponível”, disse William Schaffner, especialista em doenças infecciosas na Universidade de Vanderbilt. “Mesmo assim, a vacina teria que ser aplicada anualmente”, afirmou ele, destacando que sem dados concretos, tudo isso é apenas especulação.

Como os testes de anticorpos podem ajudar a acabar com o distanciamento social?

Determinar quem tem algum nível de imunidade através de testes de anticorpos pode ajudar as pessoas a se sentirem mais seguras com relação à volta ao trabalho.

O governador de Nova York, Andrew Cuomo, cujo estado tem mais registros de casos da doença no país, está em busca de testes de anticorpos para “recomeçar a vida” na cidade que parou por causa do vírus.

Nova York desenvolveu seu próprio regime de testes de anticorpos, aprovado pelo departamento de saúde local para uso dentro do estado, e está trabalhando com a FDA para produzi-lo em grande escala, disse Cuomo na semana passada. “Não podemos recomeçar a vida como conhecíamos sem testar.”

Mais Recentes da CNN