OMS conduz ensaio para estudar medicamentos anti-inflamatórios contra Covid-19

Os medicamentos artesunato, imatinibe e infliximabe passarão por fase de testes similar à conduzida com a hidroxicloroquina, que demonstrou-se ineficaz

Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom
Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Foto: Denis Balibouse -30.jan.2020/ Reuters

Michael Shields, da Reuters

Ouvir notícia

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou na quarta-feira (11) que um ensaio clínico em 52 países estudará três medicamentos anti-inflamatórios como potenciais tratamentos para pacientes com Covid-19.

“Essas terapias – artesunato, imatinibe e infliximabe – foram selecionadas por um painel de especialistas independentes por seu potencial na redução do risco de morte em pacientes hospitalizados com Covid-19”, disse o comunicado.

O ensaio original, chamado de Solidarity e feito no ano passado, descobriu que os quatro tratamentos avaliados – remdesivir, hidroxicloroquina, lopinavir/ritonavir e interferon – tiveram pouco ou nenhum efeito na ajuda aos doentes com Covid-19.

Até agora, apenas os corticosteróides provaram ser eficazes contra a Covid-19 grave e crítica.

A OMS disse que o artesunato, produzido pela Ipca, é utilizado para tratar a malária. No ensaio, será administrado por via intravenosa durante sete dias, utilizando a dose padrão recomendada para o tratamento da malária grave.

O Imatinib, produzido pela Novartis, é utilizado para tratar certos cânceres. No ensaio, ele será administrado por via oral, uma vez por dia, durante 14 dias.

Já o Infliximab, produzido pela Johnson e Johnson, é utilizado no tratamento de doenças do sistema imunológico. No ensaio, será administrado por via intravenosa como uma dose única.

Mais Recentes da CNN