OMS pede aos países que aumentem a vigilância para a varíola dos macacos

Casos foram identificados em mais de 20 países não endêmicos, segundo a epidemiologista sênior da OMS, Maria Van Kerkhove

OMS identificou casos da varíola dos macacos em mais de 20 países não endêmicos
OMS identificou casos da varíola dos macacos em mais de 20 países não endêmicos Star Tribune /Getty Images

Mrinalika Royda Reuters

Ouvir notícia

Cerca de 200 casos confirmados e mais de 100 suspeitos com a varíola do macaco foram detectados até agora fora dos países onde normalmente se espalha, disse uma autoridade da Organização Mundial da Saúde (OMS), nesta quinta-feira (26), pedindo aos países que aumentem a vigilância para a doença infecciosa.

A varíola dos macacos, uma infecção viral leve, é endêmica nos países africanos de Camarões, República Centro-Africana, República Democrática do Congo e Nigéria.

O recente surto em países não endêmicos levantou preocupações. Acredita-se que a cepa que circula globalmente tenha uma taxa de mortalidade de cerca de 1%, embora vacinas e tratamentos eficazes estejam disponíveis.

Falando durante uma coletiva online, a epidemiologista sênior da OMS, Maria Van Kerkhove, disse que os casos até agora foram detectados em mais de 20 países não endêmicos, acrescentando que a agência espera que os números subam.

“Esperamos que mais casos sejam detectados. Estamos pedindo aos países que aumentem a vigilância… Esta é uma situação controlável. Será difícil, mas é uma situação controlável nos países não endêmicos”.

 

Mais Recentes da CNN