ONU nega prazo, e Brasil tem até quinta para dizer se aceita programa de vacinas

Uma das preocupações é com a transferência tecnológica: o país não quer adquirir uma vacina sem ter acesso rápido à fórmula de como produzi-la

Basília Rodriguesda CNN

Ouvir notícia

De acordo com fontes, o governo brasileiro garantiu 7 no lugar dos 30 dias que pediu de prazo a mais e tem até quinta-feira para responder se aceita participar do programa de vacinas da ONU contra o coronavírus.

Trata-se de uma iniciativa em que tanto países pobres quanto desenvolvidos terão acesso à vacina. Há nove opções em análise no programa.

Leia também:

Brasil confirma intenção de aderir a programa Covax de vacinas contra Covid-19

OMS: 172 países aderiram a plano para fornecimento de vacina contra Covid-19

Na corrida pelo lucro, empresas não poderão cobrar mais de R$ 210 pela vacina

O assunto é tratado também pelos Ministérios de Relações Exteriores, da Saúde e na Casa Civil.

O prazo inicial era responder até esta sexta-feira, mas o país pediu para adiar. Em nota, o Planalto manifestou que há a intenção de aderir.

Uma das preocupações é com a transferência tecnológica. O país não quer adquirir uma vacina sem ter acesso rápido à fórmula de como produzi-la, fora os custos extras.

Frasco de vacina rotulado como "Covid-19"
Vacina contra a Covid-19 é promessa das farmacêuticas
Foto: Freepik

 

Mais Recentes da CNN