Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Opas e instituições revelam ranking com 40 melhores hospitais públicos do Brasil; veja

    Foram reconhecidos os hospitais públicos com atendimento 100% financiado pelo SUS; instituições estão localizadas em 11 diferentes estados do país

    Hospital Estadual Sumaré, administrado pela Unicamp, foi eleito o melhor hospital público do Brasil
    Hospital Estadual Sumaré, administrado pela Unicamp, foi eleito o melhor hospital público do Brasil Divulgação/Hospital Estadual Sumaré

    Anna Gabriela CostaLucas Rochada CNN

    em São Paulo

    Um ranking inédito revelou esta semana quais são os melhores hospitais públicos do Brasil. Foram reconhecidas as instituições públicas de saúde com atendimento 100% financiado pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Entre os melhores, há representantes de 11 estados do país.

    O primeiro colocado do ranking foi o Hospital Estadual de Sumaré, localizado na região de Campinas (SP) e administrado pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

    Em segundo lugar, empatados, ficaram o Hospital Geral de Itapecerica da Serra (SP) e o Hospital Geral Dr. Waldemar Alcantara, de Fortaleza (CE). O terceiro colocado na premiação foi o Hospital Estadual de Diadema, que fica na região do ABCD, na Grande São Paulo (veja a relação completa do ranking abaixo).

    “O reconhecimento é muito bem-vindo por que ele mostra que a rede pública tem qualidade e pode ser equiparada às melhores práticas de assistência à saúde dos melhores hospitais, não só do Brasil quanto no mundo e, principalmente, hospitais públicos desenvolvem ciência e retornam esse conhecimento para toda a população. É muito bom ver o sistema público de saúde com o destaque e reconhecimento devidos”, afirma a pesquisadora em gestão de saúde Chrystina Barros.

    “Temos no nosso país como princípio do SUS a equidade, a integralidade e a universalidade. Saúde é um direito de todos, é um dever do Estado”, completa.

    A premiação é uma iniciativa do Instituto Brasileiro das Organizações Sociais de Saúde (Ibross), em parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), o Instituto Ética Saúde (IES) e a Organização Nacional de Acreditação (ONA).

    Critérios de avaliação

    A premiação, que ocorreu na terça-feira (8) na sede da Opas em Brasília, reconheceu as instituições hospitalares do SUS consideradas mais eficientes, bem avaliadas pelos usuários e que se destacam pela qualidade e pela segurança proporcionada aos pacientes.

    Participaram da seleção os hospitais com Acreditação de nível 3 (excelência) emitido pela ONA ou com certificação de qualidade plena internacional.

    “As acreditações representam o reconhecimento público a boas práticas de gestão e de segurança na assistência ao paciente. Quando pensamos em saúde, estamos falando de sistemas altamente regulamentados e que precisam pensar em segurança a todo tempo. Para isso, temos muitas redundâncias nas práticas, por que não existe ‘recall’ na saúde, não há como proporcionar outra experiência para aquela pessoa que foi a óbito, por exemplo”, explica Chrystina.

    No total, 136 hospitais públicos de todo o Brasil foram avaliados pela comissão julgadora, formada pelos representantes das instituições envolvidas na organização do prêmio e pela professora e pesquisadora Mariana Carreira, da FGV-Saúde.

    “A qualidade de um hospital traz segurança, garantia de assistência igualitária e avaliação da humanidade. Na medida em que se tem profissionais que trabalham com recursos e dentro de políticas e padrões de trabalho claros que propiciem a eles tudo o que é necessário para a assistência, isso dá mais segurança e tranquilidade para aqueles que atuam. Certificações de qualidade se traduzem na segurança e em humanidade”, diz a especialista.

    Para estabelecer a pontuação foram utilizados critérios como as avaliações dos usuários dos serviços disponíveis no Google Business, tempo de certificação de cada instituição e cálculo de eficiência (produção hospitalar em relação aos recursos financeiros empregados), este último medido em parceria com a Escola de Economia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

    “A intenção com esse reconhecimento inédito é estimular ainda mais que os hospitais públicos brasileiros busquem cada vez mais aperfeiçoar seus serviços e mecanismos de gestão, ganhando em eficiência, resolutividade e qualidade à população usuária do SUS”, afirma o presidente do Ibross, Flávio Deulefeu.

    Dados

    Em 2021, o Brasil tinha 8.870 estabelecimentos hospitalares, com 490.397 leitos. De um total de 6.400 hospitais (gerais e especializados), menos de 400 são acreditados (menos de 6%). Do total de hospitais certificados, 16,5% (63) são públicos e atendem exclusivamente pelo SUS.

    No Brasil, hoje, são 200 “Acreditados ONA 3” (nível de excelência). Apenas 34 hospitais públicos mantêm esse último nível de Acreditação.

    Em relação a distribuição geográfica, observa-se maior concentração desses em São Paulo, 18 dos 34 (53%). Os demais estão assim distribuídos: três em Goiás (9%), três no Pará (9%), três no Ceará (9%), dois em Minas Gerais (6%), um na Bahia (3%) e um em Santa Catarina (3%).

    Dos 47 hospitais certificados pelo sistema americano, três são públicos (6%). Dois em São Paulo (67%) e um no Rio Grande do Sul.

    Dos 75 hospitais pelo sistema canadense, nove são púbicos (12%). Sendo 90% em São Paulo, oito dos nove acreditados. Dos quatro hospitais certificados pelo sistema espanhol, um é público (25%).

    Confira o ranking completo:

    1. Hospital Estadual Sumaré “Dr. Leandro Franceschini” (Campinas, SP)
    2. Hospital Geral de Itapecerica da Serra (Itapecerica da Serra, SP) / Hospital Geral Dr. Waldemar Alcantara (Fortaleza, CE)
    3. Hospital Estadual de Diadema (Diadema,SP)
    4. Hospital de Clínicas de Porto Alegre – HCPA (Porto Alegre, RS) / Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (São Paulo, SP)
    5. Hospital do Subúrbio (Salvador, BA)
    6. Hospital Estadual Vila Alpina (São Paulo, SP) / Hospital de Transplantes do Estado de São Paulo Dr. Euryclides de Jesus Zerbini (São Paulo, SP), Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria (Joinville, SC)
    7. Hospital Estadual Mário Covas (Santo André, SP)
    8. Hospital Geral de Pirajussara (Taboão da Serra, SP)
    9. Hospital Regional de Jundiaí (JundiaÍ, SP) / Hospital Regional de São José dos Campos (São José dos Campos, SP) / Hospital Regional do Sertão Central (Quixeramobim/CE) /Hospital Regional Norte (Sobral, CE)
    10. Hospital Geral de Caxias do Sul (Caxias do Sul, RS)
    11. Hospital da Criança de Brasília José Alencar (Brasília, DF) /Hospital Municipal Dr. Moysés Deutsch (São Paulo, SP) / Hospital Regional de Cotia (Cotia, SP) / Hospital Regional do Baixo Amazonas do Pará (Santarém, PA)
    12. Hospital Municipal Universitário São Bernardo (São Bernardo do Campo, SP)
    13. Hospital Municipal Gilson de Cassia Marques de Carvalho (São Paulo, SP)
    14. Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo – CRER (Goiânia, GO)  / Hospital Municipal Infantil Menino Jesus (São Paulo, SP) / Hospital Regional do Cariri (Juazeiro do Norte, CE) / Santa Casa de Misericórdia do Pará (Belém, PA)
    15. Hospital Regional de Sorocaba “Dr. Adib Domingos Jatene” (Sorocaba, SP)
    16. Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves (Serra, ES)
    17. Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo (Belém, PA)
    18. Hospital Geral de Itapevi (Itapevi, SP)
    19. Hospital de Clínicas Municipal de São Bernardo do Campo (São Bernardo do Campo, SP)
    20. Hospital Municipal Cidade Tiradentes – Carmen Prudente (São Paulo, SP)
    21. Hospital das Clínicas Luiza de Pinho Melo (Mogi das Cruzes, SP)
    22. Hospital Estadual Sapopemba (São Paulo, SP) / Hospital Geral do Grajaú (São Paulo, SP) / Hospital Municipal de Araguaína Dr. Eduardo Medrado (Araguaína, TO)
    23. Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira – HUGOL (Goiânia, GO)
    24. Hospital Alberto Rassi – HGG (Goiânia, GO)
    25. Hospital e Maternidade Dr. Odelmo Leão Carneiro (Uberlândia, MG)