Pandemia de gripe poderia ser pior que a da Covid-19, alerta órgão americano

Academia Nacional de Medicina alerta para necessidade de desenvolver vacinas mais potentes e possibilitar que países de baixa renda possam fazer os próprios imunizantes

Academia Nacional de Medicina diz que próxima pandemia de gripe pode matar 33 milhões de pessoas
Academia Nacional de Medicina diz que próxima pandemia de gripe pode matar 33 milhões de pessoas Reuters

Maggie Foxda CNN*

Ouvir notícia

Uma pandemia de gripe como a de 1918 poderia ser ainda pior do que a da Covid-19, e o mundo não está pronto para enfrentá-la, disse a Academia Nacional de Medicina em uma série de relatórios publicados na quarta-feira.

Agora, deve começar o trabalho para desenvolver vacinas de próxima geração e melhorar a capacidade em países de baixa e média renda para que possam fazer suas próprias vacinas sem depender de nações ricas para disponibilizá-las, recomendam os relatórios. E os governos devem descobrir como garantir que as empresas tenham incentivo para trabalhar com essas vacinas sem saber se elas serão usadas ou necessárias.

Covid-19 tem sido terrível, disse a Academia, um órgão independente que assessora o governo federal dos Estados Unidos sobre medicina e saúde, no primeiro dos relatórios.

“No entanto, de uma perspectiva epidemiológica, Covid-19 não representa um cenário de pandemia de ‘pior caso’, como a pandemia de influenza de 1918-19, que resultou em pelo menos 50 milhões de mortes em todo o mundo”, diz o relatório.

Gripe vs. Covid-19

A gripe mata entre 290.000 e 650.000 pessoas anualmente em um ano normal, de acordo com a OMS. A Covid-19 já matou 5,1 milhões de pessoas em todo o mundo. A próxima pandemia de gripe poderia matar 33 milhões de pessoas, disse a Academia.

É difícil prever quando ocorrerá uma nova pandemia de gripe, mas é certo que uma ocorrerá.

“As pandemias de influenza ocorreram repetidamente e os especialistas temem que o risco de uma pandemia de influenza possa ser ainda maior durante a era da Covid-19 devido às mudanças nas condições globais e regionais que afetam humanos, animais e seus padrões de contato. Embora seja difícil prever quando isso vai acontecer, uma grande pandemia de gripe é mais uma questão de ‘quando vai acontecer’ do que ‘se vai acontecer’”, acrescentou.

Desenvolver vacinas

Uma recomendação importante: um “salto gigante” global para desenvolver uma vacina universal contra a gripe que protegeria as pessoas contra cepas atuais e futuras. As vacinas atuais contra a gripe devem ser reformuladas regularmente, ajustadas a cada ano e não protegem contra novas cepas emergentes que podem causar pandemias.

E isso deve ser feito como uma questão de coordenação global.

“Temos muitas lacunas e muito depende de acordos informais e subfinanciados”, diz um dos relatórios. “Diante da magnitude da ameaça, estamos terrivelmente desprotegidos. Precisamos urgentemente fortalecer nossas defesas coletivas contra a pandemia de gripe e devemos fazer isso de forma sustentável.”

Um relatório recomenda ter 4 bilhões a 8 bilhões de doses da vacina contra a gripe prontas para uso apenas por prevenção.

“A preparação tem que ser um compromisso contínuo; não pode ser de ano a ano, ou de crise a crise”, disse o Dr. Victor Dzau, presidente da Academia Nacional de Medicina, em um comunicado. “A Covid-19 possibilitou o surgimento de novos recursos, tecnologias, colaboração e políticas que também poderiam ser implementadas antes e durante a próxima pandemia de influenza. É fundamental investir em ciência, fortalecer os sistemas de saúde e garantir a confiança para proteger as pessoas das consequências para a saúde, sociais e econômicas da gripe sazonal e pandêmica.”

Esforço coordenado

Um relatório recomenda especificamente que o Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, a Autoridade de Pesquisa e Desenvolvimento Biomédico Avançado, o Departamento de Defesa e outras agências agora invistam em pesquisas para vacinas contra a gripe mais novas e melhores. “Isso permitirá a seleção dos candidatos mais adequados para o propósito de levar à autorização e produção e distribuição suficientes para otimizar o controle da gripe em vários cenários e fases de pandemias e epidemias”, diz o relatório.

“A Organização Mundial da Saúde deve defender e coordenar com as partes interessadas multilaterais (por exemplo, a Coalizão para Inovações na Preparação para Epidemias), governos, agências de financiamento, a indústria de vacinas e organizações filantrópicas para desenvolver a capacidade global de avaliações pré-clínicas, clínicas e imunológicas de Candidatos à vacina contra influenza, incluindo novos candidatos usando estruturas, alvos e sistemas de entrega inovadores para potencialmente expandir ou aumentar a proteção “, acrescentou.

Um dos relatórios observa que a pandemia da Covid-19 mostrou que o uso de máscaras e o distanciamento social contribuíram para a redução drástica da disseminação da gripe em todo o mundo. “As máscaras seriam simples e econômicas durante a próxima pandemia de influenza, e as agências de saúde pública deveriam exigir seu uso, quando justificado pela gravidade e incidência da influenza”, disse a Academia em um comunicado.

* (Texto traduzido. Clique aqui para ler o original).

Mais Recentes da CNN