Parlamentares debatem papel da OMS contra a pandemia do novo coronavírus

Senador e deputado avaliaram combate global à Covid-19 e críticas de Trump ao órgão

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O presidente Donald Trump anunciou que os Estados Unidos romperam com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e, por isso, o país não financiará mais a organização após fazer inúmeras críticas à forma como o órgão vem lidando com a pandemia do novo coronavírus.

Para debater sobre o papel da OMS e a atuação durante a crise sanitária, a CNN convidou para um debate neste sábado (30) o senador e ex-ministro da Saúde do governo Lula, Humberto Costa (PT-PE), e o deputado federal Luiz Lima (PSL-SP).

Lima sustentou que mesmo após 100 anos da gripe espanhola, que matou 50 milhões de pessoas em todo o mundo, a OMS tem dificuldade na atuação contra uma pandemia. “Esse momento extraordinário reflete a inabilidade e o pouco conhecimento das pessoas que vivem em 2020 em lidarem com essa situação, inclusive a OMS”, disse.

Leia também:

Trump anuncia rompimento com a OMS em meio à pandemia de Covid-19
OMS suspende estudo da hidroxicloroquina para tratamento de doença
Brasil ultrapassa Espanha em mortes por Covid-19

O parlamentar criticou as ações da OMS no combate à disseminação do novo coronavírus, além da postura da institução em não levar em consderação as diferentes economias dos países. “[Há países] que deveriam ter flexbilidade entre isolamento vertical e horizontal, por exemplo”, citou.

Já o senador Humberto Costa discordou de Lima por entender que a pandemia reforçou a necessidade de instituições multilaterais como a OMS. “Apenas líderes obscurantistas como o Donald Trump e o próprio Bolsonaro, que têm visão completamente equivocadada do que é nacionalismo, podem ter questionar [as ações] da OMS e demais órgãos das Nações Unidas”, disse.

Para Costa, a OMS teve postura adequada na resposta ao novo coronavírus. “A epidemia e a doença têm características muito próprias e era impossível conhecê-las de forma ampla sem que houvesse um processo de desenvolvimento da doença”, defendeu.

Mais Recentes da CNN