Páscoa: Saiba quais são os benefícios do chocolate para o corpo

Especialistas apontam propriedades saudáveis que fazem bem para pele e saúde mental

Dia Mundial do Chocolate é celebrado em 7 de julho
Dia Mundial do Chocolate é celebrado em 7 de julho Getty Images

Ingrid Oliveirada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O feriado de Páscoa está sempre carregado de muito doce. Nesta sexta-feira (15), no quadro Correspondente Médico, no Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes explica os benefícios do chocolate — que tem como principal componente o cacau — e quando ele pode se tornar um problema, quando consumido em excesso.

“O cacau tem inúmeros ingredientes que fazem bem pela saúde. O que a gente sabe é que o cacau é rico em antioxidantes que fazem com que o processo inflamatório celular seja controlado”, explicou.

O neurocirurgião comentou ainda sobre as substâncias do cacau que interagem com neurotransmissores, e estão associadas a benefícios à saúde mental.

“No cacau, existem precursores de um neurotransmissor chamado serotonina, que regula nosso ciclo circadiana e regula nosso humor”, disse.

Gomes disse que o cacau também pode ajudar na hidratação dos tecidos, além de ter um ótimo teor de gordura — principalmente quando se trata do chocolate amargo, que contém maior quantidade de cacau.

Mas nem tudo é tão doce. Quando se trata do cacau associado ao chocolate, é necessário ter alguns cuidados. “Se for consumir o cacau puro, seriam duas colheres de chá, num consumo de chocolate amargo, dois tabletes por dia já é suficiente”, afirma.

“O consumo em excesso do chocolate pode provocar desregulação alimentar e com isso predispor o indivíduo a problemas relacionados com diabetes, e ao controle de açúcar e gordura no corpo”, disse o médico.

Para Gomes, não há problema consumir um pouco mais no domingo de Páscoa — dependendo do estado de base de saúde de cada um.

“A dica é sempre controlar. Se for para comer chocolate a mais, que seja em um dia só. Aquilo de pegar o chocolate e ficar comendo todo dia pode ser prejudicial”, afirma.

 

 

 

Mais Recentes da CNN