Anvisa proíbe importação de chocolate da Kinder de lote suspeito de contaminação por salmonella

Segundo a Ferrero, fabricante da marca, os chocolates contaminados não são vendidos no Brasil; Anvisa diz que medida é "preventiva"

Chocolates da Kinder à venda na Polônia
Chocolates da Kinder à venda na Polônia Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images

Giulia AlecrimGiovanna Galvanida CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu, na quinta-feira (14), a comercialização, distribuição, importação e uso de chocolates da marca Kinder suspeitos de estarem contaminados por salmonella.

A medida ocorreu mesmo com o Brasil não vendendo os produtos indicados, conforme divulgado pela própria Anvisa após o contato da empresa Ferrero. “A Agência considerou prudente publicar a medida preventiva com o objetivo de informar à sociedade e de evitar que o produto seja consumido ou trazido de fora do país por pessoas físicas ou importadoras”, declarou a Anvisa.

A contaminação pela bactéria Salmonella Typhimurium aconteceu na fábrica de Arlon, na Bélgica, e as operações do local foram suspensas.

“A Anvisa notificou a empresa a prestar informações sobre os produtos e sobre o controle de importações por terceiros”, completou a agência.

Na quarta-feira (13), a Ferrero afirmou que “ainda não recebeu qualquer notificação oficial da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), órgão que integra o Ministério da Justiça, sobre possíveis esclarecimentos em relação a episódios de intoxicação por salmonella em produtos da Kinder Europa”.

Na nota enviada a imprensa naquele momento, a Ferrero disse realizar um “recall voluntário” dos chocolates Kinder Surprise, Kinder Schokobons, Kinder Mini Eggs e Kinder Surprise Maxi 100g em outros países.

“Estes produtos não são vendidos pela Ferrero no Brasil, portanto não há que se falar em retirada destes itens do país”, disse a empresa.

Na última semana, a agência de saúde europeia afirmou investigar pelo menos uma dúzia de casos reportados e suspeitos de salmonela relacionados ao consumo dos chocolates da marca em pelo menos nove países, a maioria em crianças abaixo de 10 anos.

A planta de Arlon é responsável por cerca de 7% do total dos produtos da Kinder distribuídos globalmente, informou a Ferrero.

Nota da Ferrero

Com relação às últimas comunicações emitidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Ferrero do Brasil reafirma que os produtos da linha Kinder fabricados em Arlon, na Bélgica, alvo do recall internacional, não são distribuídos pela Ferrero do Brasil.

A empresa reitera que o recall voluntário que vem sendo realizado em outros países refere-se apenas a produtos Kinder Surprise, Kinder Mini Eggs, Kinder Surprise Maxi 100g e Kinder Schokobons fabricados em Arlon, Bélgica.

A Ferrero do Brasil segue à disposição para esclarecer quaisquer dúvidas e colaborar junto às autoridades locais.

*Com informações da Reuters

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN