Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Pelo menos 12 estados e o DF prorrogam campanha de vacinação contra poliomielite

    Crianças de até cinco anos devem ser imunizadas contra vírus que causa paralisia infantil; 54,21% do público-alvo aderiu à campanha

    Carolina FigueiredoGiulia Alecrimda CNN

    em São Paulo

    Apesar do término da campanha nacional da vacinação contra a poliomelite pelo Ministério da Saúde em 30 de setembro, 12 estados e o Distrito Federal decidiram prorrogar a ação, já que 54,21% do público-alvo (crianças de até cinco anos de idade) foi imunizado no país.

    A meta de imunização do Ministério da Saúde era de 95% — índice que não é alcançado desde 2016.

    Mesmo com o fim das campanhas, as vacinas que compõem Calendário Nacional de Vacinação seguem disponíveis para a população brasileira durante todo o ano.

    A doença foi considerada erradicada no Brasil em 1994, mas um caso suspeito em uma criança de três anos que não foi completamente vacinada está sendo investigado desde 05 de outubro no estado do Pará. O ministro Marcelo Queiroga, porém, descartou a possibilidade da doença à CNN.

    A poliomielite é uma doença contagiosa causada por vírus que pode infectar crianças e adultos. Nos casos graves, pode levar à paralisia nas pernas.

    Explicação do Ministério da Saúde sobre a vacina

    Existem duas vacinas disponíveis na rotina dos serviços de saúde: a vacina inativada poliomielite (VIP), que é injetável; e a vacina oral poliomielite (VOP). O Programa Nacional de Imunizações (PNI) recomenda a vacinação de crianças a partir de 2 meses até menores de 5 anos de idade. Conforme o Calendário Nacional de Vacinação, o esquema vacinal preconizado é composto por três doses de VIP, administradas aos 2, 4 e 6 meses de idade, mais dois reforços com VOP, aos 15 meses e aos 4 anos de idade.

    O Ministério da Saúde ressalta que, além de proteger contra doenças imunopreveníveis, a atualização da situação vacinal tem outros benefícios, como evitar a ocorrência de surtos e hospitalizações, sequelas, tratamentos de reabilitação e óbitos.

    Reafirma-se que o Brasil não detecta casos de poliomielite desde 1990. Em 1994, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) a certificação de área livre da doença, juntamente com os demais países das Américas, e vem envidando esforços para alcançar a meta dos indicadores preconizados para manter a doença eliminada.

    Veja os estados que decidiram prorrogar a campanha, até quando, e qual a respectiva porcentagem de vacinação:

    • São Paulo – prorrogado até 31 de outubro

    53% do público-alvo está imunizado

    • Rio Grande do Norte – prorrogado até 31 de outubro

    54% do público-alvo está imunizado

    • Minas Gerais – prorrogado até 21 de outubro

    77,2% do público-alvo está imunizado

    • Rio Grande do Sul – prorrogado até 22 de outubro

    76% do público-alvo está imunizado

    • Sergipe – prorrogado até 22 de outubro

    57% do público-alvo está imunizado

    • Paraíba – prorrogado até 31 de outubro

    93% do público-alvo está imunizado

    • Pará – prorrogado até 31 de outubro

    44% do público-alvo está imunizado

    • Distrito Federal – prorrogado até 18 de outubro

    43% do público-alvo está imunizado

    • Espírito Santo – prorrogado até 31 de outubro

    57% do público-alvo está imunizado

    • Tocantins – prorrogado até 31 de outubro

    58% do público-alvo está imunizado

    • Pernambuco – prorrogado até 31 de outubro

    76% do público-alvo está imunizado

    • Roraima – prorrogado até 30 de outubro

    29% do público-alvo está imunizado

    • Alagoas – prorrogado até 31 de outubro

    80% do público-alvo está imunizado