Pesquisadores britânicos infectarão deliberadamente sobreviventes da Covid-19

O objetivo é estudar a possibilidade de uma segunda infecção e detalhes sobre o comportamento do vírus

Coronavírus visto do microscópio
Coronavírus visto do microscópio Foto: Reprodução

Por Maggie Fox, da CNN

Ouvir notícia

Pesquisadores britânicos afirmara, nesta sexta-feira, que vão realizar um estudo de um ano para infectar deliberadamente as pessoas que se recuperaram da Covid-19. O objetivo é estudar a possibilidade de uma segunda infecção e ver se há respostas imunológicas específicas que as protegem.

“O chamado teste de desafio será conduzido sob condições cuidadosamente controladas, com tratamentos disponíveis no caso de um dos voluntários ficar doente”, afirmou a equipe, da Universidade de Oxford.

“Os estudos de desafio nos dizem coisas que outros estudos não podem porque, ao contrário da infecção natural, eles são rigidamente controlados. Quando reinfectarmos esses participantes, saberemos exatamente como seu sistema imunológico reagiu à primeira infecção, exatamente quando a segunda infecção ocorrer e exatamente quanto vírus eles adquiriram”, explicou em comunicado Helen McShane, especialista em vacinas do Universidade de Oxford, que lidera o estudo.

A primeira fase do estudo, que começa neste mês, encontrará a menor dose do vírus que pode infectar metade dos sobreviventes do coronavírus sem causar sintomas. Então, todos os 64 voluntários serão infectados com essa dose. Suas respostas imunológicas serão estudadas.

Quaisquer voluntários que desenvolverem sintomas serão tratados comanticorpos monoclonais, da farmacêutica Regeneron, e colocados em quarentena até que não exista mais o risco de infectar outras pessoas.

(Texto traduzido. Leia o original em inglês aqui).

Mais Recentes da CNN