Pessoas adiam vacinação contra Covid-19 para tentar escolher fabricante

Muitos pacientes buscam vacina da Pfizer e recusam receber doses de outros fabricantes; especialistas condenam prática

Bruno Oliveira, Thiago Félix e Tiago Américo, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Mesmo com escassez de vacinas no Brasil, pessoas já autorizadas a receber a primeira dose da vacina contra Covid-19 estão adiando a vacinação porque querem escolher a marca do imunizante, mesmo com a recomendação das autoridades de saúde de que a população deve tomar a vacina disponível naquele momento.

Dados do Ministério da Saúde revelam que cerca de 600 mil pessoas não apareceram para receber a segunda dose da vacina AstraZeneca. O número representa cerca de 15% do total de vacinados com a primeira dose do imunizante. 

 

No Rio de Janeiro, o Sindicato dos Enfermeiros do Estado recebeu relatos de profissionais que atuam nos postos de vacinação sobre a rejeição do imunizante da AstraZeneca. Para especialistas, efeitos colaterais são comuns com qualquer vacina e não diminuem o efeito contra a Covid-19.

“As reações adversas com a vacina da AstraZeneca ocorrem predominantemente na primeira dose. Quem tem receio de tomar a segunda dose lembre-se que essa está muito menos relacionado a reações.”

A Fundação Oswaldo Cruz, responsável pela produção da vacina da AstraZeneca no Brasil, considera extremamente raro o risco de trombose atrelado à vacinação e reforça os benefícios que a imunização pode trazer.

Profissional da Saúde prepara dose de vacina da AstraZeneca contra Covid-19
Profissional da Saúde prepara dose de vacina da AstraZeneca contra Covid-19
Foto: Yves Herman – 15.mar.2021/Reuters

Mais Recentes da CNN