Pfizer desenvolve contêiner para facilitar conservação da vacina no Brasil

Coordenador dos testes da farmacêutica no país explicou como o sistema ajudará a conservar as doses por 15 dias nos postos de vacinação

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 
A conservação a -70ºC não deve ser um empecilho para que as doses da vacina da Pfizer sejam aplicadas no país, se o imunizante for aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A afirmação é do coordenador dos testes da farmacêutica no Brasil, Cristiano Zerbini, que disse à CNN que foi desenvolvido um método para garantir a temperatura ultrafria.

“A Pfizer elaborou uma caixa, um pequeno contêiner facilmente transportável, que mantém a vacina a -70°C por 15 dias. No acordo que estamos fazendo com o governo, a Pfizer entrega assim no ponto de vacinação, e a vacina ainda pode ser conservada em geladeira comum, de 2ºC a 8ºC, por cinco dias. Com todo esse tempo dá para fazer uma logística muito boa”, afirmou Zerbini.

Leia também
Temperatura, doses e preço: o que se sabe sobre a vacina de Pfizer
Fornecimento de gelo seco é apenas um dos desafios na distribuição de vacinas
Quando as vacinas contra a Covid-19 estarão disponíveis para os brasileiros?

Cristiano Zerbini, coordenador dos testes da Pfizer no Brasil (02.dez.2020)
Cristiano Zerbini, coordenador dos testes da Pfizer no Brasil (02.dez.2020)
Foto: Reprodução/CNN

Zerbini explicou ainda detalhes dos testes no país. “No Brasil tivemos 2.284 participantes da pesquisa, meio a meio entre placebo e quem tomou a vacina. Dessas, 170 pessoas, até o momento que fizemos a análise, tiveram Covid e 162 estavam no grupo placebo. Foi assim que foi calculada a eficácia de 95%”.

(Publicada por Daniel Fernandes)

Mais Recentes da CNN