Pílula experimental da Pfizer contra a Covid é simples de usar, diz especialista

À CNN Rádio, José Valdez Madruga afirmou que a tendência é de que surjam mais medicamentos para uma “estratégia combinada” contra o coronavírus

Pílula da Pfizer foi aprovada no Reino Unido
Pílula da Pfizer foi aprovada no Reino Unido Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

Amanda Garciada CNNProduzido por Bel Campos e Layane Serrano

Ouvir notícia

A pílula antiviral da Pfizer, que foi capaz de reduzir em 89% a hospitalização ou morte em pacientes que apresentam risco maior de evoluir para casos graves da Covid-19, é “simples de usar” e algo que “foi esperado durante muito tempo” para o combate à doença, segundo o infectologista José Valdez Madruga.

Em entrevista à CNN Rádio, ele, que é investigador principal do estudo no Centro de Referência e Treinamento de São Paulo, disse que o próximo passo é de “compilar os dados e submeter para as autoridades regulatórias.”“A Pfizer vai submeter ao FDA, dos Estados Unidos, à agência europeia, EMA, e posteriormente à Anvisa”, disse.

De acordo com Valdez, o medicamento precisa ser tomado duas vezes ao dia, junto com uma outra droga, o Ritonavir, e é o “verdadeiro tratamento precoce.”

Ele acredita que a tendência é de que mais remédios contra a Covid-19 surjam, para “estratégias combinadas”: mantendo o distanciamento social, uso de máscaras e a vacinação.

“Comportamento é super importante, se não tivermos cuidado, mesmo com a população vacinada, a pandemia volta a crescer, vimos isso em outros países, Inglaterra e Holanda, estão revendo a questão da flexibilização”, completou.

Mais Recentes da CNN