População que não retornou para a 2ª dose preocupa, diz Fiocruz Amazônia

À CNN Rádio, o virologista Felipe Naveca disse que a previsão da prefeitura de realizar grandes eventos como o Natal 'ainda não é recomendada'

Enfermeira mostra vacina contra a Covid-19 para mulher no Rio de Janeiro
Enfermeira mostra vacina contra a Covid-19 para mulher no Rio de Janeiro Foto: Mario Tama/Getty Images

Amanda Garcia, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O anúncio da prefeitura de Manaus de que grandes eventos como Natal, Réveillon e Carnaval, serão liberados se a população estiver totalmente imunizada contra a Covid-19 preocupa a Fiocruz Amazônia.

Em entrevista à CNN Rádio nesta quinta-feira (5), o virologista e pesquisador da Fiocruz Amazônia, Felipe Naveca, disse que a região teve uma aceleração importante na vacinação, mas fez uma ressalva.

“É preocupante que algumas pessoas não voltaram para a segunda dose, ela é importantíssima, estudos mostraram que ela é necessária para garantir maior proteção, você não está protegido e diminui a chance de reduzir a circulação do vírus”, disse.

Ele reforçou que há um patamar mínimo para viabilizar a realização de grandes eventos: “Se atingirmos os 70% podemos começar a pensar a voltar esses eventos, mas enquanto isso não acontece, não é recomendado.”

Naveca destaca que “planejar faz parte da administração pública, mas planejar não significa que vamos fazer.” Ele deu o exemplo dos Estados Unidos, que mesmo com índice de população de totalmente vacinados maior do que o do Brasil, está observando uma alta.

“Nos EUA, a variante Delta começa a ter aumento de casos, é muito marcante que esse aumento é na população que não se vacinou, que não quis se imunizar, e ela é responsável pelo aumento de casos e óbitos”, analisou.

 

Mais Recentes da CNN