Precisamos de medidas mais drásticas e restritivas, defende Natalia Pasternak

Microbiologista argumenta que tanto o sistema público quanto o privado podem colapsar caso alto nível de contágio se mantenha

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Na semana em que o Brasil atingiu recorde de mortos em 24h pela Covid-19 e diversos estados ultrapassaram a marca de 80% de ocupação de leitos de UTI, medidas de restrição de circulação foram implementadas pelo país.

Para Natalia Pasternak, microbiologista e fundadora do Instituto Questão de Ciência, as medidas apesar de serem bem vindas, não são suficientes para o atual estágio da pandemia no país e defende o lockdown, que segundo ela nunca foi implementado de verdade no Brasil.

“Nunca tivemos coragem de implementar lockdown no Brasil. Ou a gente faz isso agora ou nosso sistema de saúde corre risco de colapsar. Precisamos de medidas mais drásticas e restritivas porque estamos vivendo situações dramáticas,” disse a microbiologista.

Natalia ressaltou que durante um ano de pandemia, o Brasil já deveria ter aprendido que “países que tiveram medidas mais drásticas tiveram maior impacto na diminuição de casos e mortes”, e questionou aqueles que ainda não entenderam a gravidade da situação.

“Se as pessoas ainda acham que isso [a pandemia] é ‘mimimi’, vão esperar sua mãe morrer para mudar de opinião? Não vai ter hospital para seu pai, sua mãe, sua avó. O sistema privado de saúde também vai colapsar, então não interessa o dinheiro que você tem nesse caso.”

Equipe da CNN flagra aglomeração em praia no Rio de Janeiro
Equipe da CNN flagra aglomeração em praia no Rio de Janeiro
Foto: CNN Brasil

Publicado por Guilherme Venaglia

Mais Recentes da CNN