Presidente do Conass pede que RJ se prepare para aumento em casos de Covid-19

Em entrevista à CNN, Carlos Lula disse que "o pior ainda está por vir"

Movimentação em rua comercial do Rio de Janeiro durante pandemia da Covid-19
Movimentação em rua comercial do Rio de Janeiro durante pandemia da Covid-19 Foto: Ricardo Moraes/Reuters (16.set.2020)

Lucas Janone, da CNN no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Carlos Lula, fez uma previsão pessimista para o Rio de Janeiro, nesta terça-feira (2), à CNN.

De acordo com ele, o Brasil vive atualmente o pior momento da pandemia do novo coronavírus e afirmou que o cenário caótico presenciado por diversas regiões do país “vai chegar” no estado fluminense. 

“Talvez [os casos de coronavírus] não tenham chegado com tanta força no Rio de Janeiro ainda.  É melhor se preparar, porque vão chegar”, afirmou Carlos Lula durante entrevista à CNN Rádio.

O presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde esclareceu que “ninguém está livre desse quadro de dificuldade que vamos passar” e reiterou que o estado do Rio “vai enfrentar”.

Cenário nacional

O Conass já havia apontado, por meio de uma nota técnica, que esperava nos próximos meses, março e abril, as semanas mais difíceis da pandemia de Covid-19. E salientou que as secretarias estaduais e municipais estão trabalhando em conjunto para reduzir os impactos da doença. 

“O pior ainda está por vir. Nós nunca tivemos tantos estados em uma situação de tamanha dificuldade ao mesmo tempo. Hoje a gente amanhece com 19 estados com mais de 80% de ocupação de UTI”, afirmou o presidente do Conass. 

Carlos Lula também pediu colaboração nesse momento tão difícil. “A gente precisa de uma coordenação nacional. Não dá para cada governo achar que vai fazer seu toque de recolher, sua medida de restrição de circulação de pessoas do seu jeito”, concluiu.

Mais Recentes da CNN