Quais cânceres são mais comuns e mais mortais?

Nas Américas, 2,9 milhões de pessoas são diagnosticadas com câncer, com a morte de 1,3 milhão, segundo informações da Organização Pan-Americana da Saúde

Entre 30% e 50% dos cânceres podem ser prevenidos, segundo a OMS
Entre 30% e 50% dos cânceres podem ser prevenidos, segundo a OMS Foto: Getty Images

Melissa Velásquez Loaiza, Mariana Toro Nader, da CNN

Ouvir notícia

 

O câncer é a segunda causa de morte no mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Quase uma em cada seis mortes se deve a essa doença, que se desenvolve quando ocorrem alterações em um grupo de células normais do corpo que apresentam crescimento “anormal e descontrolado”, produzindo tumores.

Uma das características mais violentas do câncer é que as células anormais se multiplicam “além de seus limites normais”, de modo que podem invadir partes adjacentes do corpo ou se espalhar para outros órgãos. Esse processo é chamado de “metástase” e é a principal causa de morte por câncer, afirma a OMS.

Em 2018, houve 9,6 milhões de mortes por câncer no mundo, e cerca de 70% dessas mortes foram registradas em países de baixa e média renda, acrescenta a OMS.

Nas Américas, o câncer também é a segunda causa de morte, e estima-se que a cada ano 2,9 milhões de pessoas sejam diagnosticadas com a doença na região, com a morte de 1,3 milhão, segundo informações de 2018 da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

A maior taxa de mortes por câncer no continente ocorre prematuramente em pessoas com 65 anos de idade ou menos, de acordo com a OPAS. A organização prevê que até 2025 os casos de câncer aumentarão para mais de 4 milhões de novos casos e 1,9 milhão de mortes.

A OMS afirma que, entre 30% e 50% dos cânceres podem ser prevenidos “evitando fatores de risco e implementando estratégias de prevenção baseadas em evidências”. Muitos tipos têm grandes chances de serem curados se diagnosticados precocemente e tratados adequadamente, afirma a OMS.

Quais são as causas do câncer?

O câncer se desenvolve devido a diversos fatores, que podem incluir causas genéticas e agentes externos, tais como: consumo de álcool, excesso de peso e obesidade, alimentação inadequada, falta de atividade física, tabagismo, radiação ultravioleta e ionizante, entre outros. Idade avançada e sistema imunológico fraco também contribuem para o desenvolvimento de câncer, de acordo com a página do Dia Mundial do Câncer.

Especialistas observam que, “dietas com muita carne vermelha, carnes processadas e alimentos com sal, e poucas frutas e vegetais têm impacto no risco de câncer, principalmente colorretal, de nasofaringe e de estômago”.

 

 

Quais são os tipos de câncer mais comuns?

O câncer de mama em mulheres superou o câncer de pulmão como o mais comumente diagnosticado no mundo, de acordo com um novo relatório.

O artigo, publicado no Cancer Journal for Clinicians, estima que houve cerca de 2,3 milhões de novos casos em 2020, representando 11,7% de todos os novos casos de câncer.

Os cinco cânceres mais frequentemente diagnosticados, de acordo com o relatório, foram os de mama feminino, de pulmão, colorretal, de próstata e de estômago. Os dados mostraram que as cinco principais causas de morte por câncer foram de pulmão, colorretal, de fígado, de estômago e de mama feminina.

E quais são os tipos mais mortais?

Embora existam muitos casos, os tipos de câncer mais comuns não são necessariamente aqueles que causam o maior número de mortes.

1. Câncer de pulmão

A causa mais comum de câncer de pulmão é o tabagismo, ligado a cerca de 90% das mortes. E essa prática causa mais de 480 mil mortes a cada ano apenas nos Estados Unidos, quase uma em cada cinco mortes, de acordo com os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

Os fumantes do sexo masculino têm 25 vezes mais chances de desenvolver câncer de pulmão do que os não fumantes, enquanto as mulheres são 25,7 vezes mais propensas, de acordo com os CDC.

Este tipo de câncer apresenta poucos sintomas na fase inicial. Mais tarde, porém, a doença se manifesta por meio de:

  • tosse frequente
  • dor no peito
  • dificuldade para respirar
  • respiração ofegante
  • episódios repetidos de pneumonia ou bronquite
  • rouquidão
  • tosse com excesso de catarro mucoso e sangue ou cor de ferrugem

Para se prevenir desse tipo de câncer é necessário parar de fumar ou evitar começar. Evite também ser um fumante passivo, em casa e no trabalho.

2. Câncer colorretal

Esse tipo de câncer matou 862 mil pessoas em 2018, de acordo com a OMS, e afeta as porções intestinais do sistema digestivo, o cólon e o reto.

Os tumores podem se desenvolver em qualquer parte do cólon ou do reto. Se as células do câncer colorretal se espalharem para fora desses órgãos, elas tendem a viajar para os linfonodos próximos, chamados de glândulas linfáticas. Ele também pode se espalhar para outras partes do corpo, especialmente o fígado e, às vezes, para os pulmões, ossos e outros órgãos.

Os sintomas incluem:

  • diarreia ou prisão de ventre
  • sensação de que o intestino não está se esvaziando completamente
  • sangue nas fezes
  • dores frequentes de gases ou cólicas
  • perda de peso sem motivo conhecido
  • fadiga
  • náusea ou vômito

O risco de desenvolver câncer colorretal está fortemente relacionado ao histórico familiar: em comparação com a população em geral, as pessoas com histórico familiar têm aproximadamente o dobro de chance de desenvolver a doença.

A maioria dos pacientes com câncer colorretal com mais de 50 anos é diagnosticada nos estágios iniciais da doença. No entanto, um estudo da American Cancer Association de 2019 revelou que a maioria (71%) dos pacientes mais jovens com câncer colorretal e que sobreviveram à doença disseram que foram diagnosticados em estágios avançados 3 e 4.

A American Cancer Society atualizou suas diretrizes de rastreamento do câncer colorretal em 2018 para recomendar que os adultos de risco médio sejam rastreados a partir dos 45 anos em vez dos 50, como era recomendado anteriormente.

As opções de triagem podem variar desde a realização de um teste anual de fezes altamente sensível ou de uma colonoscopia feita a cada 10 anos. Esses exames podem detectar crescimentos pré-cancerosos e removê-los. O tratamento inclui cirurgia, radioterapia e quimioterapia.

Um estudo publicado em 2019 descobriu que os casos e as mortes por câncer anal estão aumentando dramaticamente nos Estados Unidos, especialmente entre pessoas mais velhas e jovens negros. De 2001 a 2015, os casos do tipo mais comum de câncer anal aumentaram 2,7% ao ano, enquanto as taxas de mortalidade aumentaram 3,1% ao ano de 2001 a 2016.

3. Câncer de fígado

Esse tipo de câncer causou 782 mil mortes em todo o mundo em 2018, de acordo com a OMS.

O fígado é o maior órgão interno do corpo e, por desempenhar tantas funções vitais, as pessoas não podem viver sem ele. O fígado também é suscetível, porque o câncer de outros órgãos pode se espalhar para o fígado, especialmente o câncer colorretal.

Os sintomas incluem:

  • perda de peso sem motivo aparente
  • fadiga
  • satisfação precoce após pequena refeição
  • falta de apetite
  • dor abdominal persistente
  • inchaço da área do estômago
  • coloração amarela da pele e dos olhos
  • sensação de peso no fígado

Os tratamentos para câncer de fígado incluem cirurgia hepática, ablação, terapia de embolização, radioterapia, imunoterapia e quimioterapia, entre outros.

De acordo com a American Cancer Association, a opção mais indicada para curar o câncer de fígado é remover o tumor canceroso com cirurgia ou transplante de fígado, e cânceres menores do fígado também podem ser removidos com outros tipos de tratamento, como ablação ou radiação.

4. Câncer gástrico ou de estômago

Em 2018, 783 mil pessoas morreram deste tipo de câncer em todo o mundo. Ele ocorre quando as células cancerosas se formam no revestimento do estômago. “Os fatores de risco incluem tabagismo, infecção por H. pylori, e certas doenças hereditárias”, diz o Instituto Nacional do Câncer.

Existem vários tipos de câncer de estômago que tendem a se desenvolver ao longo de um período de vários anos, diz a American Cancer Society (ASC). A Associação observa que, mesmo antes que o câncer se forme, alguns sintomas já podem aparecer.

Como os tumores cancerosos no estômago podem se desenvolver em diferentes partes desse órgão, a localização das células cancerosas pode fazer com que os tratamentos variem.

5. Câncer de mama

Em 2018, ocorreram 627 mil mortes por esse tipo de câncer, que é o mais comum em mulheres, tanto em países desenvolvidos como em desenvolvimento, diz a OMS. Corresponde a 15% de todos os cânceres femininos, de acordo com a organização.

Cerca de um em cada quatro novos casos de câncer diagnosticado em mulheres em todo o mundo ocorre na mama. Também é o câncer mais comum para mulheres em 154 de 185 países, segundo estudo de 2018 desenvolvido pela Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer.

Se detectado precocemente, pode ser uma doença controlável, mas continua sendo a principal causa de morte por câncer em mulheres, seguido pelo de pulmão, colorretal e cervical.

As taxas de sobrevivência ao câncer de mama variam de 80% na América do Norte, a menos de 40% em países de baixa renda. Isso se deve principalmente à falta de programas de rastreamento.

O câncer de mama em homens é menos comum do que em mulheres. De acordo com um estudo da American Cancer Society, o risco absoluto de um homem desenvolver câncer é de 1 em 833, enquanto para as mulheres é de 1 em 8. 

Outros fatos sobre câncer

O câncer varia de acordo com a região. A probabilidade de ter a doença ou morrer em decorrência dela depende, em parte, de onde a pessoa mora. Quase metade dos novos casos , e mais da metade das mortes em todo o mundo ocorreram na Ásia, lar de 60% da população mundial.

Na América, a incidência de câncer é de 21% e de 14,4% de mortes por câncer, apesar de ter apenas 13,3% da população mundial.

A Europa é responsável por 23,4% dos casos de câncer e 20,3% das mortes, mas apenas 9% da população mundial.

Um em cada cinco homens, e uma em cada seis mulheres desenvolverão câncer durante a vida, estimam os pesquisadores. Um em cada oito homens e uma em cada 11 mulheres morrerão da doença, de acordo com um relatório de 2018 da Agência Internacional de Pesquisa do Câncer da Organização Mundial de Saúde.

O número de casos de câncer está aumentando por várias razões, afirma o relatório: a população mundial está crescendo, e mais pessoas significa mais câncer. A população também está envelhecendo, e os riscos de câncer aumentam com a idade. Os números também estão parecendo piores porque, em muitos países, as mortes por acidente vascular cerebral e doenças cardíacas estão diminuindo.

Este artigo foi publicado inicialmente em 3 de fevereiro de 2020 e modificado em fevereiro de 2021 com dados atualizados. 

(Texto traduzido. Leia o original em espanhol)

 

Tópicos

Mais Recentes da CNN