Quase todos os países já registraram coronavírus e pandemia se acelera, diz OMS

Diretor-geral da organização destaca que foram necessários apenas 4 dias para passar de 200 mil para 300 mil casos

OMS diz que quase todos os países do mundo já registraram casos do novo coronavírus
OMS diz que quase todos os países do mundo já registraram casos do novo coronavírus Foto: Reprodução/ Universidade Johns Hopkins

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou nesta segunda-feira (23) que mais de 300 mil casos de coronavírus já foram reportados à entidade. “Quase todos os países do mundo já registraram coronavírus e a pandemia está acelerando”, alertou a autoridade, durante entrevista em Genebra.

Ghebreyesus destacou que foram necessários 67 dias do momento em que foi registrado o primeiro caso até que se chegasse a 100 mil casos da doença, 11 dias para que se atingisse a marca de 200 mil e apenas 4 dias para superar os 300 mil infectados.

Nesse contexto, a OMS insistiu na necessidade de se respeitar orientações como lavar correta e frequentemente as mãos e manter isolamento social.

Medicamentos

O diretor-geral da OMS alertou também para o risco de se utilizar medicamentos que não foram testados de modo adequado.

Algumas autoridades, como o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mencionaram nos últimos dias a cloroquina como um medicamento possível para o tratamento do coronavírus.

Autoridades de saúde, inclusive americanas, porém, têm advertido para o fato de que os estudos sobre esse medicamento contra o novo coronavírus ainda são preliminares e alertam para os riscos do uso indiscriminado. Já usada atualmente para algumas doenças, como a malária, a cloroquina tem efeitos colaterais e contraindicações.

Ghebreyesus afirmou que a OMS deseja produzir evidências de qualidade “o mais rápido possível”, nessa luta contra a doença. Para isso, a organização mantém vários estudos, comentou. De qualquer modo, insistiu na necessidade de se testar todos os casos suspeitos e isolar os confirmados, para evitar maior disseminação da doença.

Apoio da Fifa

A coletiva da OMS contou com a presença do presidente da Fifa, o suíço-italiano Gianni Infantino. A organização exibiu ainda um vídeo com vários jogadores populares, como o argentino Lionel Messi, para incentivar a conscientização sobre os cuidados contra o coronavírus.

O comando da OMS agradeceu o fato de que um fundo criado para receber contribuições para a luta contra o coronavírus já arrecadou mais de US$ 70 milhões, sendo que desse montante US$ 10 milhões vieram da Fifa.

(Com informações do Estadão Conteúdo)

Mais Recentes da CNN