Secretário de SC faz apelo ao governo federal: ‘Nenhum estado dá conta sozinho’

André Motta, secretário estadual de Saúde, diz que precisa de ajuda do Ministério da Saúde para poder ampliar o número de leitos de UTI para pacientes com Covid

Produzido por Juliana Alves,

da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Quase 220 pacientes aguardam por leitos de UTI para o tratamento da Covid-19 em Santa Catarina. Em entrevista à CNN, o secretário de Saúde do estado, André Motta, apelou ao Ministério da Saúde para mandar os recursos necessários para a abertura de novos leitos intensivos.

“O que vemos é uma crise de logística, não só aqui, mas em todo o país. A doença está nos atropelando, foram várias causas dessas consequências atuais”, disse Motta. “Estamos sim muito demandados, mas nenhum estado, nesse momento, consegue dar conta sozinho do que está acontecendo.”

De acordo com Motta, Santa Catarina já solicitou à Saúde mais equipamentos e insumos, além de recursos humanos. O secretário negou que a necessidade de hospitais de campanha, que nunca foram abertos no estado, para amenizar o colapso no sistema público de saúde.

“Não faz sentido ter hospital de campanha em Santa Catarina porque temos estrutura hospitalar, o que precisamos é do resto da logística”, afirmou. “Temos condições de abrir mais 100, 300, até 500 leitos de UTI se tivermos esses insumos.” 

“Lembrando que leito de UTI é o último enfrentamento dessa pandemia. Nós estamos trabalhando em várias frentes, em qualificar assistência na entrada do paciente, fazer um diagnóstico mais rápido, um tratamento imediato, monitorar o paciente. Isso é importante. Leito de UTI é a última fronteira de enfretamento dessa guerra”, concluiu Motta.

Hospital na capital de Santa Catarina, com leitos de UTI de Covid-19 ocupados
Hospital Florianópolis, na capital de Santa Catarina, com todos os leitos de UTI de Covid-19 ocupados
Foto: Eduardo Valente/Ishoot/Estadão Conteúod (1º.mar.2021)

(Publicado por: André Rigue)

Mais Recentes da CNN