Sem estoque para ampliar vacinados, Rio aplica 2ª dose em profissionais de saúde

Capital tem 115 mil doses reservadas para a segunda aplicação

Isabelle Saleme, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

 

A cidade do Rio de Janeiro começou a aplicar a segunda dose da vacina contra Covid-19 em profissionais de saúde que já receberam a primeira dose do imunizante. Embora tenha interrompido a campanha para novas aplicações, a capital tem 115 mil doses reservadas para a segunda aplicação — o que garante a proteção contra o novo coronavírus.

Na Clínica da Família Estácio de Sá, no Rio Comprido, zona norte, a agente comunitária de saúde Adriana Damázio Lopes comemorou a segunda dose, nesta terça-feira (16). 

“Estou me sentindo a Mulher Maravilha”, contou a profissional da saúde que veio trabalhar com a fantasia da personagem por causa do Carnaval. “Mas eu sei que não posso abusar porque nem todo mundo foi imunizado ainda. Se Deus quiser, logo, logo, toda a população vai sentir essa alegria”, desejou Adriana.

Apesar da capital ainda poder imunizar idosos de 83 anos ou mais na terça-feira (16), há possibilidade de que as vacinas se esgotem em algumas unidades de saúde antes do final do dia. Segundo a Secretaria Municipal, os centros e clínicas da família funcionarão no feriado exclusivamente para a vacinação contra a Covid-19. 

O calendário carioca previa que no dia 27 de fevereiro todas as pessoas com 75 anos ou mais tenham sido vacinadas. Com a falta de doses, a vacinação deve ser concluída pelo menos no dia 6 de março.

 

A Secretaria da Saúde espera a chegada de mais doses para seguir com a campanha. A Secretaria Estadual de Saúde do Rio, que faz o repasse dos imunizantes para os municípios, afirmou não saber quando e nem quantas novas doses chegarão do Ministério da Saúde. 

Com os insumos que chegaram da China, 17,3 milhões de doses já estão sendo produzidas pelo Instituto Butantan. A expectativa é que, após processo de envase, rotulagem, embalagem e controle de inspeção de qualidade, as novas doses sejam entregues ao Plano Nacional de Imunização a partir da próxima terça-feira. 

Já com relação as doses da vacina de Oxford, enquanto a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) não entrega as doses fabricadas com insumos também vindos da China, a fundação negocia a compra de mais 2 milhões de doses. Existe a possibilidade de que essas vacinas cheguem na semana que vem à Fundação, onde vai ser feita a rotulagem, o controle de qualidade e a entrega para o Ministério da Saúde fazer a distribuição. 

Carnaval

A Secretaria Municipal de Saúde já espera para os próximos dias um aumento no número de internações por Covid-19, depois do registro de aglomerações desde o início do período que seria de Carnaval. Apesar da proibição de bailes, desfiles e blocos, a CNN vem mostrando ao longo da semana denúncias de diversas festas clandestinas que aconteceram não só na capital fluminense, mas também em outras cidades do estado.

Segundo o secretário Daniel Soranz, nesta terça-feira, cerca de 900 pessoas estão internadas em enfermarias e UTIs da rede SUS no município do Rio. A fila de espera por um dos 1575 leitos disponíveis está zerada nesse momento mas a secretária já espera um aumento de procura por vagas. 

“É triste a gente ver pessoas se aglomerando em período de pandemia, enquanto há profissionais de saúde trabalhando no feriado para imunizar a população. A gente já está se preparando, depois de tantos flagrantes de desrespeito ao distanciamento social, para um aumento de casos da doença nos próximos dias”, afirmou Soranz.

(Com informações de Beatriz Puente e Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro)

 

Mais Recentes da CNN