Sentimento de nostalgia pode reduzir a percepção da dor, diz estudo

Pesquisa descobriu que observação de fotos que trazem memórias da infância está ligada a sensações mais fracas de dor

Nostalgia pode reduzir a dor
Nostalgia pode reduzir a dor Reprodução / Freepik

Lauren Kentda CNN*

Ouvir notícia

Da próxima vez que você sentir dores, você pode considerar pular o analgésico e pegar uma foto antiga.

A nostalgia – aquela sensação sentimental de saudade do passado – pode reduzir a percepção da dor, de acordo com uma nova pesquisa publicada na revista JNeurosci.

Cientistas da Academia Chinesa de Ciências e da Universidade Normal de Liaoning pediram aos participantes do estudo que classificassem o nível de dor por estimulação de calor enquanto observavam imagens nostálgicas – retratando desenhos antigos, jogos de infância ou doces retrô – em comparação com imagens mais modernas.

Durante as tarefas, uma máquina de ressonância magnética também escaneou os 34 participantes.

Os pesquisadores descobriram que a observação de fotos que desencadeavam memórias de infância estava ligada a participantes relatando sentimentos mais fracos de dor.

“Ao gerenciar seu desconforto, em vez de eliminar ou reduzir os estímulos (desagradáveis), as pessoas podem usar a nostalgia para reformular suas experiências dolorosas”, disse Joe Yazhuo Kong, um dos autores do estudo, por e-mail.

“A nostalgia é uma emoção predominantemente positiva que as pessoas percebem facilmente em suas vidas”, disse Kong, líder do grupo de pesquisa do Laboratório de Neuroimagem Integrativa da Dor da Academia Chinesa de Ciências.

“Por exemplo, as pessoas podem se sentir felizes e em paz ao navegar em suas fotos agrupadas com familiares ou amigos.”

Estudos anteriores também demonstraram os benefícios psicológicos e emocionais da nostalgia. Um estudo publicado na revista Frontiers in Psychology mostrou que a nostalgia – desencadeada por uma tarefa de escrita – diminuiu a percepção da intensidade da dor entre pessoas que sofrem de dor crônica.

Outras pesquisas descobriram que as pessoas tinham uma maior tolerância à dor após pensamentos de nostalgia, de acordo com Cathy Cox, professora associada de psicologia da Universidade Cristã do Texas.

“É legal encontrar mais e mais pesquisas fazendo a sobreposição entre essas construções psicológicas e emocionais que estamos estudando e essas respostas biológicas e comportamentais”, disse Cox, psicóloga com foco em nostalgia. Ela não esteve envolvida no estudo.

Dado que é raro e caro usar exames de ressonância magnética para pesquisa em psicologia, de acordo com Cox, não se sabia muito sobre os mecanismos biológicos subjacentes aos efeitos positivos da nostalgia.

“Durante esse processo de alívio da dor induzido pela nostalgia, o tálamo desempenha um papel crucial”, disse Kong à CNN.

O tálamo, muitas vezes descrito como a estação de retransmissão do cérebro, é responsável por transmitir informações sensoriais e sinais motores para o córtex cerebral.

O novo estudo mostrou que o tálamo integra essa “informação de nostalgia” e desencadeia uma resposta à dor mais controlada. A visualização de fotos nostálgicas também diminuiu a atividade em duas áreas do cérebro relacionadas à dor.

E não são apenas as fotos antigas que podem levar a respostas positivas devido à nostalgia – música, filmes ou certas histórias também podem desencadear isso. Assim como odores, como perfumes, ou o sabor de certos alimentos, como doces da infância ou biscoitos que lembram alguém de casa.

Todos esses gatilhos de nostalgia podem ser úteis no futuro para fornecer ferramentas de gerenciamento de dor baratas e facilmente acessíveis às pessoas.

Cox e Julie Swets, doutoranda na Universidade Cristã do Texas, também estão trabalhando em pesquisas sobre como a nostalgia pode ser usada como recurso para gerenciar conflitos em relacionamentos românticos e aumentar a satisfação entre parceiros.

Mas Swets alertou que usar a nostalgia para aliviar a dor pode não ser uma solução geral para todos. Estudos anteriores destacam que a nostalgia é uma experiência emocional pessoal que varia em termos de frequência e intensidade.

“O que é nostalgia é esse sentimento de conexão com outras pessoas”, disse Swets, observando que as pistas em muitos estudos são projetadas para fazer as pessoas pensarem em bons momentos com a família e amigos.

“Então, as pessoas que evitam um pouco mais a intimidade com outras pessoas, ou mais propensas a preferir a distância a relacionamentos próximos, essas pessoas não colhem os mesmos benefícios da nostalgia.”

Tal como acontece com outras intervenções de psicologia positiva, como praticar mindfulness ou ioga, os impactos podem depender da pessoa.

Os pesquisadores envolvidos no novo estudo do JNeurosci também têm planos de usar diferentes faixas etárias em pesquisas futuras e analisar os impactos de pistas nostálgicas mais pessoais, em vez de nostalgias genéricas, como músicas e filmes antigos.

“Esperamos um efeito de alívio da dor muito mais forte se os participantes observarem cenários pessoais, sejam quais forem as pistas visuais ou não visuais”, disse Kong à CNN.

 

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN