Sistema de saúde do Paraná está colapsado e cenário é catastrófico, diz médico

À CNN, o intensivista Juliano Gasparetto relatou que as equipes médicas estão completamente desgastadas no atendimento contra a Covid-19

Unidades de Terapia Intensiva para tratamento de Covid-19 (21.mar.2021)
Unidades de Terapia Intensiva para tratamento de Covid-19 (21.mar.2021) Foto: Reprodução / CNN

Amanda Garcia, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN nesta sexta-feira (28), o médico intensivista Juliano Gasparetto disse que o sistema de atendimento hospitalar no Paraná está em colapso.

O médico, que é professor da Escola de Medicina da PUC-PR e diretor geral do Hospital Universitário Cajuru, contou que tanto a rede pública, quanto a rede privada, vivem o pior momento da pandemia, com contingência total de recursos.

“Aquelas imagens do começo da pandemia de pacientes amontoados nos corredores são a realidade da rede privada e pública. Para cada três, quatro altas, há outras 10 pessoas para internar. A gente tem uma demanda infinita por leitos, ter plano de saúde não garante leitos hoje”, contou.

Neste momento complicado, Juliano disse que o psicológico dos médicos têm de escolher pacientes para utilizar os recursos escassos como em um “cenário de catástrofe”, em que os com mais chances de sobreviver têm prioridade.

“A gente procura atender a todos, mas os recursos às vezes são direcionados, por exemplo, à gestante próxima de dar luz, tem questão de cuidados paliativos, é uma matemática que não fecha e quem paga o preço é a equipe que opera no limite”, lamentou.

Juliano Gasparetto ainda fez um alerta para a população que se aglomera sem ter necessidade: “Se você vai numa aglomeração e volta para casa, está condenando seu familiar. A gente se sente como enxugar gelo, trabalhamos sete dias por semana e vemos pessoas se aglomerando e levando isso para suas casas. A parte da conscientização é: não tem leitos.”

Mais Recentes da CNN