Transmissão de Covid-19 por assintomáticos parece ser rara, diz OMS

Porta-voz deixou claro que há diferença entre assintomáticos e pré-sintomáticos (que podem infectar pessoas antes de desenvolver sintomas, mesmo leves)

Mulher de máscara fuma em frente a uma loja durante a quarentena pela pandemia de coronavírus, na Austrália
Mulher de máscara fuma em frente a uma loja durante a quarentena pela pandemia de coronavírus, na Austrália Foto: Kate Trifo/Unplash

Jacqueline Howard,

da CNN

Ouvir notícia

A disseminação da Covid-19 por pessoas que não apresentam sintomas parece ser rara, disse, em coletiva de imprensa ensta segunda-feira (8), a líder técnica da Organização Mundial de Saúde (OMS), Maria Van Kerkhove.

“A partir dos dados que temos, ainda parece raro que uma pessoa assintomática realmente transmita adiante para um indivíduo secundário”, disse Van Kerkhove na segunda-feira.

Van Kerkhove deixou claro, porém, que há diferença entre assintomáticos (que adquirem o vírus, mas me nenhum momento manifestam a doença) e pré-sintomáticos (que ainda não desenvolveram sintomas da doença – que podem ser leves e difíceis de serem diferenciados de um resfriado -, mas antes mesmo disso podem infectar outras pessoas).

“Temos vários relatórios de países que fazem rastreamento de contato muito detalhado. Eles seguem casos assintomáticos, seguem contatos e não encontram transmissão secundária daí em diante. É muito raro”, afirmou. “Estamos constantemente analisando esses dados e estamos tentando obter mais informações dos países para responder realmente a essa pergunta. Mas ainda parece raro que um indivíduo assintomático realmente transmita adiante”.

A infectologista continuou descrevendo como o novo coronavírus, um patógeno respiratório, se espalha através de gotículas, que podem ser liberadas quando alguém tosse ou espirra.

“Passa de um indivíduo através de gotículas infecciosas. Se realmente seguíssemos todos os casos sintomáticos, isolássemos esses casos, seguíssemos os contatos e os colocássemos em quarentena, reduziríamos drasticamente a transmissão”, avaliou Van Kerkhove.

Pré-sintomáticos

Não podem ser consideradas assintomáticas pessoas que apresentam sintomas da doença, ainda que leves. Dr. Manisha Juthani, especialista em doenças infecciosas e professor associado de medicina e epidemiologia na Yale School of Medicina, disse em um email para a CNN na segunda-feira que a maioria dos que se dizem assintomáticos podem ter desenvolvidos sintomas leves (e, assim, poderiam causar contaminações).

Pré-sintomático refere-se aos estágios iniciais de uma doença, antes que os sintomas se desenvolvam, enquanto assintomático pode se referir a não apresentar sintomas durante o curso de uma infecção – uma distinção que Van Kerkhove evidenciou. 

Juthani, que não participou da coletiva de imprensa e não revisou os dados não publicados citados por Van Kerkhove, disse que essas descobertas apresentadas pela especialista da OMS não são necessariamente inconsistentes com outras estimativas sobre como a disseminação pré-sintomática do coronavírus pode ocorrer.

 

Mais Recentes da CNN