‘Tratamento precoce é falsa sensação de tranquilidade’, diz infectologista

O coordenador cientifico da SBI, Sergio Cimerman, ressaltou à CNN que a vacinação e as medidas protetivas são os únicos meios de combater a Covid-19

Produzido por Fernanda Pinotti*, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O infectologista do Instituto Emílio Ribas e coordenador cientifico da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Sergio Cimerman, caracterizou, em entrevista à CNN nesta sexta-feira (18), o tratamento precoce contra a Covid-19, sem eficácia comprovada, como uma “falsa sensação de tranquilidade”.

“Não temos um tratamento efetivo para a doença até o presente momento. O que temos são medidas protetivas e vacinação”, alertou Cimerman. 

Segurança das vacinas

O infectologista também ressaltou a segurança dos imunizantes utilizados no Brasil. No Rio de Janeiro, o Sindicato dos Enfermeiros (Sindenfrj) recebeu relatos de profissionais que atuam nos postos de vacinação sobre a rejeição da AstraZeneca/Oxford, devido aos possíveis efeitos colaterais.

Febre, fadiga e mal-estar são os sintomas mais comuns para uma em cada cinco pessoas que recebem a primeira dose do imunizante da AstraZeneca/Oxford, de acordo com os estudos da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). 

Especialistas ressaltam, porém, que efeitos colaterais são comuns com qualquer vacina e não diminuem o efeito contra o novo coronavírus.

O Conselho Federal de Medicina (CFM) lembra que as pessoas devem ser imunizadas com a vacina disponível no posto naquele momento, já que escolher a vacina e se recusar a tomar outra é um equívoco que retarda a proteção da pessoa e a deixa vulnerável, desnecessariamente, por mais tempo.

“As vacinas que temos disponíveis em solo nacional são todas muito seguras”, explicou Cimerman. “De uma simples aspirina você tem efeitos colaterais.”

O infectologista Sergio Cimerman (01.mar.2021)
O infectologista Sergio Cimerman explicou a ineficácia do chamado tratamento precoce contra a Covid-19
Foto: Reprodução/CNN

(*sob supervisão de Elis Franco)

Mais Recentes da CNN