Vacinação contra Covid-19 pode ser interrompida na cidade do Rio

Comitê Especial de Enfrentamento à Covid sugere retardar flexibilização enquanto 50% da população não estiver com esquema vacinal completo

Isabelle Resende, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Com o atual estoque, a vacinação contra Covid-19 está mantida somente até esta terça-feira (10) na cidade do Rio. A Secretaria Municipal de Saúde informou que a continuidade do calendário de vacinação da cidade depende do cumprimento do cronograma de entregas de vacinas feito pelo Ministério da Saúde.

Nesta terça-feira (10), está prevista a imunização de pessoas com 25 anos, sendo mulheres na parte da manhã e homens à tarde. A repescagem é destinada para pessoas com deficiência, pessoas com 50 anos ou mais, gestantes e puérperas com 18 anos ou mais, somente na parte da tarde.

A demora na distribuição das vacinas preocupa as autoridades da área da saúde. 

Nessa segunda-feira (9), durante reunião do Comitê Especial de Enfrentamento à Covid, que auxilia o município na tomada de decisões no combate à pandemia, foram propostas algumas mudanças no critério de flexibilização das atividades e da reabertura da cidade, diante do avanço da variante Delta na capital.

Entre elas, os especialistas sugerem que seja analisado o cenário epidemiológico (número de casos confirmados da doença e de internações) e que pelo menos 50% da população total do Rio já esteja com esquema vacinal completo, ou seja, que pelo menos a metade da população da cidade já tenha recebido as duas doses ou dose única da vacina contra a Covid.

Para um dos membros do Comitê, ouvidos pela CNN, o médico sanitarista Daniel Becker, o avanço da vacinação é fundamental para conter o avanço e agravamento da doença.

“Já estamos vendo um crescimento do número de casos provocado pela Delta e isso já começa a tensionar os leitos para internação na cidade, o que nos preocupa. Estamos numa corrida contra o tempo e por isso precisamos que o Ministério da Saúde consiga acelerar a entrega de vacinas”, ressalta o especialista.

A taxa de ocupação de leitos na capital, de acordo com a prefeitura do Rio, está em 88%.

As recomendações do Comitê, se forem acatadas pela secretaria municipal de Saúde, podem atrasar o cronograma apresentado no dia 29 de julho, pelo prefeito do Rio, Eduardo Paes. 

A agenda de eventos chamada de Rio de Novo prevê a reabertura da cidade a partir do dia 2 de setembro, com direito a fechamento de ruas e apresentações musicais com Djs espalhados em diferentes por diferentes pontos da cidade, incluindo a orla e pontos turísticos. Para isso, a meta estabelecida pela Prefeitura é de que 45% da população carioca esteja com o esquema vacinal completo.

Fotos – vacinação no Brasil e no mundo

 

A secretaria de saúde do Rio faz um apelo para que a população fique atenta à data de retorno ao posto de vacinação para aplicação da 2ª dose. Na capital, cerca de 80 mil pessoas estão com a D2 em atraso. A Prefeitura do Rio afirma que vem fazendo busca ativa para convocar aqueles que não compareceram na data correta no posto de vacinação.

Questionado, o Ministério da Saúde não informou quando serão enviadas novas doses ao estado do Rio. As últimas remessas foram entregues no fim de semana. Os lotes dos imunizantes da Pfizer e Coronavac, entregues na noite de domingo (8), continuam a ser distribuídos ao longo desta terça-feira (10) para os 87 municípios fluminense. 

Para as regiões Norte, Noroeste e Costa Verde, a entrega será realizada por duas aeronaves, sendo uma da Secretaria de Saúde e outra da Polícia Militar. As demais regiões receberão os imunizantes por vans e caminhões.

Mais Recentes da CNN