Vacinação é fundamental para estratégia de flexibilização, diz pesquisadora

Carla Albert, da Confederação Nacional de Municípios (CNM), destacou resultados de pesquisa que apontou falta de doses em 25% das cidades consultadas

Lucas Rocha e Vinícius Tadeu*, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN neste domingo (8) a supervisora da área técnica da Saúde da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Carla Albert, destacou resultados de uma pesquisa, realizada na última semana, que mostrou a escassez de vacinas contra a Covid-19 em cidades brasileiras.

“Essa análise da situação dos estados e das regiões de saúde em cada estado é muito importante para entender onde e o quê eu poderia, como gestão, flexibilizar ou não. Nessa decisão, o avanço da vacinação tem um papel fundamental”, disse Carla.

Segundo a pesquisa da CMN, realizada entre os dias 4 e 5 de agosto, com a participação de 1.328 cidades de todo o Brasil, 25% dos municípios enfrentam falta de doses para imunizar a população, especialmente com a primeira aplicação.

De acordo com Carla, os municípios tem avançado no que diz respeito à imunização de faixas etárias mais jovens. No entanto, a continuidade das campanhas depende da chegada de novas doses com regularidade.

“Na última pesquisa, 18% dos municipios que responderam ao questionário já vacinavam a faixa etária entre 18 e 24 anos. Mas, com certeza, tudo depende da oferta, de que cheguem as vacinas aos municípios nas quantidades necessárias, atendendo o quantitativo populacional”, disse.

(*supervionado por Juliana Alves) 

Mais Recentes da CNN